Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

Ultrapassei a barreira psicológica dos 4 meses

IMG_0099 (2).JPG

 

O Xavier fez ontem 4 meses. E são 4 meses de amamentação exclusiva. Estou feliz, muito feliz. 

Acima de tudo sinto que o "pior" (dores iniciais, intervalos de amamentação super curtos) já passou. Agora sim: começo, finalmente, a desfrutar dos momentos a dois.

Com o Vasco (1º filho) a "maminha" terminou aos 4 meses... por isso tinha estabelecido para mim própria uma meta pessoal. Tinha como objetivo ultrapassar esse timing no segundo filho.

Dizia muitas vezes ao meu marido que se conseguisse amamentar o Xavier durante 4 meses + 1 DIA... já era uma vitória em relação à experiência anterior, eh eh :)

Com o Vasco a amamentação foi sempre mista (mama + complemento) e acredito que isso, juntamente com a personalidade dele (super ativo, não conseguia ficar mais que 3 minutos no colo) fez com que o aleitamento materno terminasse tão cedo.

Desta vez, parece-me que a "coisa" está para ficar. O Xavier adora mamar (até demais, pois não aceita biberão) e tem-se desenvolvido muito bem. E é uma dupla vitória porque não só consegui chegar aos 4 meses, como o fiz sempre em amamentação exclusiva, ao contrário do que aconteceu com o mano mais velho.

A meu favor, tenho o facto de nunca ter sofrido mastites por isso o processo não me custou muito.

 

Não posso dar receitas milagrosas porque não sou uma expert no assunto, mas no meu caso funcionou bem:

 

- Purelan (doses e doses nos primeiros dias)- empastar bem a auréola logo a seguir a uma mamada e deixar estar assim, meio peganhento até à mamada seguinte;

- Maminhas ao léu;

- Alternar as duas maminhas sempre, para não encaroçar a menos usada.

- Livre demanda (no meu caso foi até aos 3 meses; agora que o bebé já está mais crescido já vou "alargando" um pouco mais os intervalos)

A livre demanda, embora super cansativa, para mim foi muito importante... Primeiro porque estimulou bastante a produção de leite. Segundo, porque me livrou das mastites. Sempre que a maminha começava a ficar mais cheia e a querer "encaroçar", o Xavier mamava e desfazia o caroço.

- Extração de leite nas primeiras semanas: neste momento já não tenho necessidade porque a quantidade de leite que produzo está na medida certa daquilo que o Xavier mama (a ver vamos se assim continua...) Mas no início, houve alturas em que eu produzia mais leite do que aquilo que ele era capaz de mamar. Para evitar "caroços" e dores, em algumas ocasiões extraí leite após a mamada. Confesso que não gosto nada de extrair com a máquina, acho um bocado desagradável. Mas consegui retirar algumas vantagens dela.

 

Este não pretende ser um "bragging post". Estou apenas a relatar esta segunda experiência de amamentação, assim como relatei com detalhes a primeira experiência. Estou satisfeita, reconheço. E quero deixar aqui registado (porque este blog é também o registo das minhas memórias e sentimentos) a felicidade que sinto. Só isso... 

 

 

 

 

 

Sigam-me também em

8 comentários

Comentar post