Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

Dezembro 17, 2018

O Triângulo Perfeito

Teoria: "Ah e tal, assim que o bebé começar com a comida sólida ele vai dormir muito melhor, vais ver... Porque o problema é do teu leite que é fraco/fluido/grosso/seco/magro/whatever..."

Prática: Miúdo iniciou comida sólida. Miúdo acordou de 20 em 20 minutos entre a meia noite e as 4 da manhã. Miúdo não deixa ninguém dormir.


Estamos super bem dispostos hoje cá em casa, como devem imaginar. A comida sólida era o nosso último recurso no combate às noites sem dormir, era a nossa palmeira no meio do deserto. Mas afinal a palmeira era uma miragem, buáaaa!  

Dezembro 15, 2018

O Triângulo Perfeito

problemas-de-dormir-pouco.jpg

De acordo com um estudo britânico, a maioria dos pais dorme, em média, apenas 4 horas e 44 minutos por noite, no primeiro ano de vida dos bebés.

Tomando por base uma noite "normal" de 8 horas de sono, esta redução implica que os pais percam o equivalente a 55 noites bem dormidas nesse ano. 

 

As consequências desta privação de sono são devastadoras. Segundo o estudo:

- 23% dos pais assumem que passaram a ter comportamentos estranhos devido à falta de sono;

- 11% alucinaram com objetos que não existiam na realidade;

- 44% confessaram ser comum esquecerem-se do que estavam a dizer a meio de uma frase;

- 8% revelou ter-se esquecido em algum momento do nome do bebé;

- 64% sente-se orgulhoso por ter conseguido sobreviver ao primeiro ano do bebé;

 

No que toca aos "comportamentos estranhos" resultantes do cansaço e da privação de sono, estes foram alguns dos exemplos dados pelos pais:

 

- "Dei esparguete ao bebé, pensando ser hora de jantar. Mas na realidade era de manhã e era hora do pequeno-almoço".

- "Guardei a chaleira no frigorífico por engano".

- Meti comida de gato no dispensador da máquina de lavar, em vez de meter o pó.

- "Fui para a rua descalço".

 

Também ando com os fusíveis  um bocado adormecidos à conta das noites mais dormidas.

Estive a pensar (e acreditem que nesta fase "pensar" é uma tarefa difícil) e estes são alguns comportamentos estranhos que já tive neste últimos 5 meses:

 

- Guardei o frasco do azeite no frigorífico e depois não sabia dele. Passei 3 dias a cozinhar com óleo e margarina.

- Deixei a chave do carro metida na porta e fui para casa. Só reparei no dia seguinte quando não conseguia encontrar a chave. Desci à garagem e lá estava ela. Digam lá que não sou amiga dos ladrões...

- O marido pegou no bebé ao colo, mas eu continuei a balançar o carrinho com o pé durante meia hora. Na minha cabeça, estava a embalar o miúdo. Na realidade, estava a agitar um carrinho vazio.

- Saí de casa quase sem gasolina com destino ao ikea. Falhei todas as estações de serviço até lá chegar, por distração. Estava a ver que ficava pelo caminho!

- Todos as noites quando abro a porta do microondas vejo lá coisas esquecidas que coloquei durante o dia. É comida, é chá, é leite... enfim, alimentos que pus a aquecer mas depois esqueci de comer.

- Passo na rua e cumprimento pessoas que conheço muito bem, mas não me consigo lembrar do nome delas. É frustrante!!

-  Não consigo seguir as conversas do meu filho mais velho, pois estou constantemente a "desligar". Só ouço fragmentos das histórias que ele conta porque de vez em quando dá-me uns apagões e fico tipo aqueles robots de brincar que paralisam quando as pilhas acabam. 

- Entro numa divisão da casa e fico parada a olhar para o vazio porque já não me recordo o que é que eu fui lá fazer (isto é tãooooo assustador...)

 

Enfim. Sei que é uma fase passageira (olhem a redundância kkk, se é uma fase, tem que ser passageira não é? ) porque já com o primeiro filho foi igual.

Desta vez, sinto-me ainda mais "lenta" porque o cansaço é maior e o Xavi dorme muito pior que o irmão.

A sorte é que vai passar e, em breve, voltarei a ser uma pessoa normal (dentro do género distraído, é certo)

E vocês? Também se sentem cansadas e cansados?

Que comportamentos estranhos já tiveram à conta da privação do sono?

Dezembro 14, 2018

O Triângulo Perfeito

genero-apis-e-distribuicao-pelo-mundo-cursos-cpt.jpg

O meu marido costuma adormecer o nosso bebé muito rapidamente, simulando o som de uma abelha.

É um fenómeno espetacular: mal começa o zzzz, o Xavier encosta-se e adormece instantaneamente.

Hoje estava sozinha em casa e também quis experimentar a técnica da abelha.

Fiz abelha grave, fiz abelha aguda, fiz abelha em sol menor, fiz abelha em ré maior, fiz abelha em beat box! Nada.

Cantei canções do filme "Música no Coração" com som zzzz de abelha, acompanhando com bater do pé. Nada!

Cantei as variações goldbert e arranhei músicas antigas do coro académico... nada!

Fiz bailinho da madeira com som de abelha, balançando para simular o vira que vira. Népias.

Só não fiz a Turbinada da Ana Malhoa em versão ZZZZ, porque achei que o miúdo ia ficar excitado.

O miúdo não adormeceu. E eu fiquei roxa e quase sem ar de tanto fazer ZZZZ!!

Cheguei à conclusão que a técnica da abelha não é para mim. Logo à noite tenho que pedir explicações.

Entretanto vou continuar a usar a minha técnica antiga, à qual chamo carinhosamente, "o esvaziamento do pneu": SCHHHHHHH SCHHHHHHHH!

É radicalmente diferente (cof, cof)  e comigo dá muito mais resultado.

Dezembro 10, 2018

O Triângulo Perfeito

Uma mãe (esta mãe!) deitou se as 23h e lavantou se as 6h30.
Pelo meio, o seu bebé acordou 3 vezes.

Acordou as 00h00 e quis mamar.

Acordou as 02h00 e quis mamar.

Acordou as 05h00 e berrou como um desalmado... porque queria mamar.


De todas as vezes que esta mãe alimentou o bebé, ela perdeu cerca de 40 minutos.


Agora a questão...

QUANTO TEMPO CONSEGUIU EFETIVAMENTE DORMIR ESTÁ MÃE? 🤔🤔

Dezembro 07, 2018

O Triângulo Perfeito

O Xavier fez esta semana 5 meses. Depois de muito pensarmos, decidimos que estava na altura de introduzir alimentos sólidos.

Temos presente as recomendações da OMS são contrárias a isto...  Sabemos que esta organização defende a diversificação alimentar apenas a partir dos 6 meses. 

 

Mas temos vários motivos para o fazer antecipadamente e não nos sentimos mal por isso:

 

- Se tudo correr como planeado, o Xavier vai entrar brevemente na creche. Como ele não aceita (nunca aceitou) biberão, terá que se alimentar com papa, sopa ou fruta lá na escola. Parece-me importante começar a adaptação a esses alimentos enquanto ele ainda está em casa. Não quero que chegue à creche e comece a comer uma data de coisas novas, sem antes ter experimentado cada um desses alimentos e feito o teste das alergias.

 

Assim, vamos aproveitar este mês para, muito devagarinho, irmos introduzindo os alimentos que ele irá comer na creche. Sem stresses.

 

- O Xavier já demonstra imenso interesse pelos alimentos que nós comemos: fica curioso quando vê as pessoas a levarem comida à boca, quer tocar na comida, abre a boquinha dele.. nota-se que está cheio de vontade.

 

- O Xavier não tem grande de reflexo de extrusão, o que indicia que poderá estar preparado para a mastigação. Tirando a primeira vez (em que ia deitando a comida fora com a língua), a partir daí mastigou sempre e engoliu com gosto.

 

- O Xavier é um bebé que ainda acorda muitas vezes de noite para mamar. Faz intervalos de duas ou no máximo 3 horas o que é extremamente desgastante. Já aqui abordei o assunto no blogue e sei que nem todas as mães concordam que a alimentação sólida dê melhores noites, mas... perante o panorama, sentimos que tínhamos mesmo que tentar.

 

Depois de aplicarmos várias estratégias (algumas até sugeridas por mamãs da blogosfera) e nada resultar, resolvemos introduzir alimentos sólidos.

 

- Amamentar tantas vezes estava a ser desgastante para mim, e um factor de stress/desequilíbrio a nível familiar. 

 

Talvez este argumento não faça sentido para muitas das mamãs que vão ler este post. Eu sei que em primeiro lugar têm que estar os nossos filhotes e pode parecer "egoísmo" estar a introduzir comida sólida "só" para reduzir à frequência da amamentação. Mas a verdade é que estou exausta e não está a ser nada gratificante a nível pessoal, dar de mamar de 2,5 em 2,5 horas (ou no máximo 3). 

 

E o facto de eu estar exausta, e de dormir pouco faz com que esteja mais rabujenta e não consiga dar o melhor de mim aos restantes elementos da família. Não esquecer que temos um filho com 3 anos, a necessitar de amor, bom astral e muita atenção e que não tem culpa que os pais andem a dormir mal :))

 

Posto isto... demos início, muitooo lentamente, à diversificação alimentar. 

Querem saber como fizemos? Que tipo de alimentos estamos a introduzir e como estamos a organizar a ementa diária do Xavier, tendo em conta que iniciou esta alimentação 1mês mais cedo que o recomendado?

Aguardem próximos posts!

 

 

 

Dezembro 05, 2018

O Triângulo Perfeito

.. este menino fez 5 meses!

Sei que o que vou dizer é tão batido, mas... o tempo passou tão depressa!

Amei-o desde o primeiro dia, desde o primeiro momento em que veio para o meu peito de olhinhos bem abertos! 

É impossível alguém ser indiferente a este sorriso, esta carinha linda e sempre bem disposta! 

Que contes muitos e muitos meses Xavier... comigo sempre aqui.

És um raio de sol na minha vida.

IMG_1186.JPG

Novembro 15, 2018

O Triângulo Perfeito

Quando o Vasco, há 3 anos, deixou de querer mamar ... fiquei triste.

A partir dessa altura, e como eu não conseguia retirar grande quantidade de leite com a bomba, ele começou a alimentar-se exclusivamente com leite de fórmula pelo biberão.  

Com o Xavier a amamentação está bem instalada, e eu devia estar a dar vivas e urras, não é?

Mas... tenho o problema oposto: ai o Vasco deixou de aceitar mama? Pois o Xavier não aceita beber pelo biberão! :))

Inicialmente, nao me importava. Estava tao feliz por conseguir amamentar em exclusivo que só via vantagens na recusa do biberão. Agora, e com a proximidade da ida para a creche, levanta-se uma questão: como é que o Xavier se vai alimentar na escola?

Por outro lado, a recusa biberão implica, como já falei noutros posts, que o Xavier tenha que andar comigo para todo o lado, tipo "porta-chaves". Ou então tenho que fazer programas muito curtos sem ele. Não dá para relaxar.

Estive a pesquisar na internet sobre estratégias para colmatar o problema e encontrei este artigo muito fixe que é daqui mesmo do SAPO. 

 

Assim muito resumidamente, algumas dicas que li nesse artigo foram:

 

- Ser o pai ou outro familiar a dar o biberão. Porque se for a mãe, devido à proximidade física com as maminhas o bebé vai "farejar" o leite materno e recusar o biberão.

- Incentivar o bebé com a tetina do biberão: dar a tetina para o bebé brincar com a boca, colocar um pouco de leite na ponta da tetina e deixa-lo habituar-se ao objeto.

- Fazer do momento-biberão, um momento feliz, dando muito carinho a atenção ao bebé nesse momento.

- Tentar horários e posições diferentes daquelas que se usam na amamentação.

- Caso nada resulte... dar de beber por um copo.

 

É oficial... já tentei quase tudo o que li neste artigo e nada resulta (inclusivamente já tentei outras coisas como usar tetinas e biberões diferentes). Portanto, estou quase a atingir o patamar do "dar de beber por um copo"...

A pediatra do Xavier, vendo o meu desespero, disse-me para esquecer oficialmente a "missão biberão" e começar a pensar em dar comida sólida. 

Muito honestamente, começa a ser uma tentação muito forte.

Queria amamentar em exlusivo até aos 6 meses, mas como já disse noutras ocasiões (como por exemplo o parto) "não estou aqui para ganhar medalhas".

A pediatra, vendo o meu stress, passou-nos um papel com uma lista do regime alimentar que o Xavier poderia eventualmente seguir a partir dos 5 meses: nada de leite de fórmula, continuar a maminha e o leite materno, mas intercalando com as refeições sólidas. 

Sei que isto poderia ajudar muito a nossa família... as noites cá em casa são uma loucura com o Xavi a querer mamar de 2 em 2 horas, e talvez com a comida sólida ele aguentasse mais horas. Os programas sem Xavi são uma miragem e se ele comesse papas/sopa eu já poderia deixa-lo um pouco mais tempo com os avós para fazer programinhas com o filhote mais velho ou até mesmo a dois. 

Eu estou super, mega, ultra cansada. E não podemos esquecer que existe outro filho, com apenas 3 anos, a necessitar de uma mãe a 100%. 

Por isso... a ver vamos... não sou pessoa de desistir. Sou um bocado teimosa. Mas sinto que à custa do cansaço e das noites sem dormir, já não ando muito bem do tico e do teco.

No dia 4 de dezembro, quando o Xavi fizer 5 meses, tomarei uma decisão.

Assinado: Mãe estafada.

Sigam-me também em

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D