Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

A cobra mais doce

Novembro 09, 2018

O Triângulo Perfeito

IMG_0905.JPG

 

O Vasco odeia sopa, seja de que tipo e consistência for.

 

Um dia desta semana, já cansada de tanto tentar, acabei por desistir e deixa-lo sair da mesa. Mas fiquei triste e com cara de amuada...(com um verdadeiro sentimento de deceção porque aquela sopa estava espetacular).

Estive algum tempo sem falar com o Vasco porque estava demasiado chateada para falar. 


Passado 10 minutos, ele vem ter comigo a rastejar no chão (tipo cobra) e ao chegar ao pé de mim diz: 
- Mamã, vais falar comigo? Já somos amigos outra vez? 

 

Raio do miúdo que me derrete o coração...

Futebol ou Ballet? Escola de Bombeiros!

Outubro 07, 2018

O Triângulo Perfeito

Hoje foi um dia especial...fomos visitar um quartel dos bombeiros!

Como quase todas as crianças, o Vasco tem uma paixão enorme por estes profissionais e já andava há algum tempo a pedir para "ver os carros por dentro".

Felizmente, existe um quartel perto de nossa casa. Esta semana, conseguimos encontrar algum tempo para ir lá dar uma saltada.

Acreditem, foi uma das atividades mais giras que fizemos nos últimos tempos. Tão simples e tão produtiva!

Fomos super bem recebidos (não podiamos ter sido melhor acolhidos) e tivemos direito a uma visita guiada. 

O Vasco entrou nas ambulâncias, subiu aos carros dos bombeiros, usou um capacete, ligou uma sirene, viu as mangueiras... e ainda fez de conta que estava a falar num Walkie-talkie.

Eu aproveitei a deixa e... experimentei tudo também! É ver as fotos no nosso instagram, dá para perceber o quanto gostámos da peripécia.

Não tinha a noção de que os carros dos bombeiros eram tão altos. Se subir para eles era fácil, já para descer... nem por isso. Concluí que se quisesse ser bombeira, antes do fogo teria que vencer primeiramente o meu pavor das alturas. 

O Vasco estava entusiasmado e fez imensas perguntas. Corria de carro para carro e queria subir para todos (o que acabou, no fim, por ser um pouco extenuante).

Ficámos a saber que as Escolas de Bombeiros acolhem miúdos a partir dos 6 anos e que lhes transmitem formação até aos 18 anos. Só a partir dessa idade é que se pode, oficialmente, ser bombeiro. Até lá, há muita formação para a saúde e para a cidadania.

Uma das bombeiras que nos fez a visita guiada tinha 23 anos. Disse-nos que já estava há uma década naquela instituição. Tinha, portanto, começado aos 13, como infante numa escola de bombeiros.

Os olhos do Vasco brilhavam... e eu pus-me a pensar se a entrada para uma destas escolas não seria uma boa ideia.

Claro que, como mãe, o meu coração treme só de pensar no meu filho a apagar fogos num grande incêndio... Mas penso que a formação que os miúdos recebem poderá ser uma mais valia para o seu futuro.

Entre aprender primeiros socorros e perceber a importância do voluntariado, muitas vantagens resultam da frequência numa destas escolas. 

Deixo-vos aqui um link para conhecerem uma das escolas de bombeiros do nosso país (não foi esta que visitámos).

Nós, pais, temos o hábito de matricular os nossos filhos em atividades muto convencionais (futebol, música, ballet), mas às vezes também é giro pensar um bocado fora da caixa. E os resultados poderão ser excelentes!

https://www.tsf.pt/sociedade/interior/uma-escola-para-pequenos-bombeiros-9249852.html

 

 

 

 

Durante quanto tempo vou achar piada a isto?

Outubro 03, 2018

O Triângulo Perfeito

Com 2 anos de idade (quase a fazer 3) o Vasco já tem um domínio quase perfeito da língua portuguesa. Mas de vez em quando, como qualquer miúdo da sua idade, vai dando os seus "pontapés na gramática". 

Há certas expressões/palavras que não saem como devem sair... E eu acho imensa graça a esses enganos! Aqui vão alguns exemplos:

 

"Eu fazi (fiz) chichi no pote"

"Aquele peixe não se mexe por está morrido (morto)"

"A Joana é mais pequena que mim (eu)"

"Emprocuras-me (encontras-me) o carro?"

"Procurei! Procurei! (encontrei)"

"Da-me esse carinho de curroque (reboque)"

"Curroca!, Curroca! (reboca)"

"Quero pissaaaaaaa! (pizza... esta deixa-me em apuros, eh eh)

"Vimos muitos murros (burros) na quinta"

" Eu quero um chouriço-cacheiro!"

"O camarão (tubarão) tem dentes muito grandes!"

 

E pronto! Deve haver mais, mas estas são as pérolas de que me lembro neste momento.

Sei que esta é uma daquelas coisas a que só os pais da própria cria acham piada.

Mas como este é, também, um blogue de memórias, achei por bem deixar registado.

A minha pergunta é... até quando vou achar piada a isto? :)

Não quero que ele venha da escola primária a dizer que já "fazeu" os trabalhos de casa... Por isso sinto que o hiato temporal de "engraçadisse" da coisa é muitoooo curto...

Sinceridade acima de tudo

Setembro 13, 2018

O Triângulo Perfeito

Fomos à florista comprar um vaso para a tia Irene.

A meio do processo o Vasco olha para o arranjo que a senhora da loja estava a fazer e e comenta:
- Está feio!


A senhora concordou e voltou a fazer de novo o arranjo.

Eu também achei que estava feio, mas não precisei de dizer porque o Vasco adiantou-se.


No final, pagámos o vaso e à saída o Vasco diz:
- Vamos embora, que o chão desta loja está muito sujo...


A senhora volta a concordar e com ar dócil pega na vassoura para limpar os restos de flores e ramos partidos espalhados pelo chão.


Adoro o meu filho... apetece-me leva-lo para todos os estabelecimentos comerciais, ah ah!


Com a frontalidade típicas das criaças, ele acaba por dizer tudo aquilo que eu penso, mas que não tenho coragem de dizer porque não quero parecer antipática.


Eu acabo por ser bem servida (fiquei com um vaso muito mais giro depois de ele falar) e ainda por cima, toda a gente lhe acha piada, o que é um bónus! 

Primeiro dia no jardim de infância

Setembro 13, 2018

O Triângulo Perfeito

Este foi um início de ano escolar um pouco diferente, para o nosso Vasco: saiu da creche e passou para o jardim de infância. 

Embora continue no mesmo infantário, agora está numa sala diferente... com novas regras, novos brinquedos e novas possibilidades de aprendizagem! 

Também mudou de educadora. Quanto às duas auxiliares, uma é nova e a outra mantem-se igual ao ano passado.  Acho importanto que uma das auxiliares se tenha mantido. Caso contrário seria muita coisa nova para assimilar. 

Confesso que não estava com receio nenhum desta nova etapa. O Vasco passou o mês de agosto todo connosco em casa e lá para o fim já só falava em regressar à escola e aos seus amigos. 

Para além disso, tentei sempre motiva-lo em relação a esta mudança. Falei-lhe que agora ia para a "sala verde", que iria ter imenso espaço, montes de brinquedos e um acesso direto ao jardim dos escorregas. 

No primeiro dia de escola, de manhã o Vasco acordou um pouco maldisposto. Perguntei-lhe qual era o problema. Se não queria ir para a escola. Ele rapidamente me tirou as dúvidas:

- Claro que quero ir para a escola! Os meus amigos estão à minha espera, mamã!

E pronto. Tem sido um início de ano escolar muito agradável. 

O Vasco tem chegado a casa muito falador, e com muitas histórias para contar. Está a ser uma fase muito feliz da vida dele.

 

 

Conversas importantes

Setembro 07, 2018

O Triângulo Perfeito

O pai Zé contou-me ontem ao jantar uma conversa que ouviu entre o Vasco e a avó.

Parece que iam os dois a sair de casa (Vasco e avó) quando a avó olha para as pernas dela e comenta:

- Oh não, esqueci-me de por creme nas pernas hoje.

O Vasco respondeu imediatamente:

- Eu também esqueci avó. Vamos voltar para casa para por creme? As pernas têm que ficar macias!

 

E pronto. Para além de ter um filho com apetências vegan, parece que também vou ter um metrosexual ultra preocupado com a imagem, ah ah! :))

Um sabor excêntrico

Setembro 07, 2018

O Triângulo Perfeito

Ainda a propósito de post de ontem, lembrei-me de uma das vezes em que o Vasco chegou a casa com um chupa-chupa na mão, oferecido peo funcionário da churrascaria.

 

Depois de eu o ajudar a desembrulhar o chupa, apercebo-me que era acastanhado e que o sabor era de COCA-COLA. Apreensiva, comento com o meu marido:

- Olha, o chupa-chupa é de coca-cola, espero que não tenha muita cafeína.

O Vasco ouviu e não percebeu nada, porque ainda não sabe o que é a coca-cola. Mas o som da palavra pareceu-lhe familiar, por isso passado um bocado vira-se para nós e diz:

- Mamã, gosto muito deste chupa de FITA COLA. É muito bom. Adoro FITA COLA.

Escusado dizer que nos fartámos de rir, com a confusão linguística do nosso pequeno. 

Pelo sim, pelo não, temos andado de olho na verdadeira fita cola. Não vá ele lembrar-se de a comer, achando que sabe ao mesmo que o chupa! :)

Pérolas do Vasco

Setembro 06, 2018

O Triângulo Perfeito

Há uma certa e determinada churrascaria perto da nossa casa que o nosso filho mais velho, o Vasco, adora. Talvez porque o funcionário desse restaurante lhe oferece sempre um chupa-chupa quando vamos lá.

As coisas correm sempre muito bem... tirando a última vez. Nesse dia, o Vasco (não sei porquê) começou a ficar sentimental.

No início tudo correru com normalidade.

Pagámos o frango, ficámos à espera da nossa vez na fila, mas... quando finalmente o funcionário do restaurante começa a cortar o nosso frango, o Vasco grita bem alto:

 

- NÃO!!! NÃO CORTE O FRANGO!!!

 

Assustado com o berro e surpreso, o homem perguntou-lhe porquê.

 

- COITADINHO! - continua a berrar o Vasco. - NÃO LHE CORTE AS PERNINHAS!

 

Foi escusado dizer-lhe que o bicho já estava morto e que já não sentia dor. 

Toda a gente se riu no restaurante, achando imensa graça. Mas o problema é que a saga em nossa casa continuou.

O Vasco recusou-se a comer o "frango de pernas cortadas", chegando mesmo ao ponto de chorar com pena dele. Foi um suplício!

 

Posto isto, acho que está na altura de perguntar:

 

- Será que vou ter um filho vegetariano? :)))

Uma decisão radical

Agosto 06, 2018

O Triângulo Perfeito

IMG_20170909_182134.jpg

 

Como rapaz que é, o Vasco adora tudo o que esteja relacionado com o mundo automóvel. Quem quiser fazer este menino feliz, é oferecer-lhe pistas de carros, motas e carrinhos. Disso nã há dúvidas...

 

No outro dia pus-me aqui em casa a contar e apercebi-me que temos mais de 40 carrinhos daqueles pequeninos (tipo faísca mcqueen, etc). É um exagero... Isto sem contar com os carrinhos que eu já enviei para casa das duas avós. 

 

A minha casa está cheia de carros por todo o lado. É na banheira, é no quarto, é por baixo das almofadas do sofá. 

A adoração do Vasco pelo mundo automóvel chega a tal ponto que... todas as brincadeiras têm que terminar sempre com carrinhos!

 

Vejamos. No outro dia estava a ler-lhe a história dos 3 porquinhos...

 

- Era uma vez três porquinhos que resolveram fazer uma casa... - começo.

- E para isso precisaram de uma escavadora, mamã!

 

(Pimba! lá vem outra vez a conversa dos meios de transporte, percebem o que eu quero dizer?)

 

Continuo a história...

 

- Não. Fizeram a casa à mão. Um dos porquinhos fez a casa com palha...

- E palha veio num trator! Brrum, brrummm!

 

(E pronto, lá foi ele buscar um trator para fazer de conta que trazia palha...)

 

- Sim, veio num trator. E o outro fez a casa com madeira. 

- Vou buscar um camião para levar a madeira... 

 

(E é mais ou menos isto... Não vou continuar a história porque acho que já deu para perceber a lógica do meu raciocínio)

 

Ás vezes aborrece-me um pouco que todas as brincadeiras acabem sempre com os carros. Temos imensos briquedos sem ser carros mas o Vasco pouca atenção lhes dá.

 

Por isso, tomei uma decisão radical que já está a ser posta em prática:

durante uma semana não vai haver carrinhos cá em casa.

 

Arrumei os carros todos num saco e coloquei no armário do escritório. Deixei ficar apenas 5 miniaturas para o Vasco "matar a sede" quando estiver assim para o desesperado.

 

Então o que é que ficou?

Ficaram legos, puzzles, livros para colorir, tintas para pintar, jogos, as tintas de água (coisa espetacular que descobri recentemente),  e tantos outros brinquedos. Aceitam-se sugestões!

 

Fui ao Jumbo e renovei o nosso stock de livros infantis e estamos a ler um desses livros por dia. Aproveito para dramatizar a história e um dia destes vou ver se construo com ele umas marionetas. Hoje de manhã estivemos a ler um livro do "Rato Renato" e o Vasco achou piada. Por isso vou comprar-lhe toda a coleção.

 

Para já está a correr bem... Claro que no primeiro dia, o Vasco perguntou pelos carros e praticamente se enfiou dentro da caixa dos brinquedos à procura deles... Entretanto, passou-lhe.

 

Com esta medida espero distrai-lo um pouco da sua divertida obcessão e mostrar-lhe que existem outras brincadeiras fixes que ele pode fazer sem andarem necessariamente à volta dos carros... 

Para mim também está a ser ótimo... Porque o Vasco adora que eu brinque com ele e, confesso, já não aguentava mais o tédio!

Perdi a conta às vezes em que já simulei ser um carro que tem um acidente e é socorrido pelo "tinoni"... Isto acontecia mais de 20 vezes por dia (não estou a exagerar)

Mães de rapazes, sei que me entendem bem, eh eh...

Vasco... perdoa-me por esta semana sem carros! Para a semana se a coisa ficar preta, voltas a ter o teu arsenal cá em casa. Entretanto, vamos ao parque, vamos à praia, vamos conhecer o mundo e... brincar com outras coisas.

A mãe agradece... 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me também em

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D