Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Triângulo Perfeito

A vida de uma família perfeitamente normal

O Triângulo Perfeito

A vida de uma família perfeitamente normal

09.11.18

A cobra mais doce

Ana
  O Vasco odeia sopa, seja de que tipo e consistência for.   Um dia desta semana, já cansada de tanto tentar, acabei por desistir e deixa-lo sair da mesa. Mas fiquei triste e com cara de amuada...(com um verdadeiro sentimento de deceção porque aquela sopa estava espetacular). Estive algum tempo sem falar com o Vasco porque estava demasiado chateada para falar.  Passado 10 minutos, ele vem ter comigo a rastejar no chão (tipo cobra) e ao chegar ao pé de mim diz:  - Mamã, vais (...)
07.10.18

Futebol ou Ballet? Escola de Bombeiros!

Ana
Hoje foi um dia especial...fomos visitar um quartel dos bombeiros! Como quase todas as crianças, o Vasco tem uma paixão enorme por estes profissionais e já andava há algum tempo a pedir para "ver os carros por dentro". Felizmente, existe um quartel perto de nossa casa. Esta semana, conseguimos encontrar algum tempo para ir lá dar uma saltada. Acreditem, foi uma das atividades mais giras que fizemos nos últimos tempos. Tão simples e tão produtiva! Fomos super bem recebidos (não (...)
03.10.18

Durante quanto tempo vou achar piada a isto?

Ana
Com 2 anos de idade (quase a fazer 3) o Vasco já tem um domínio quase perfeito da língua portuguesa. Mas de vez em quando, como qualquer miúdo da sua idade, vai dando os seus "pontapés na gramática".  Há certas expressões/palavras que não saem como devem sair... E eu acho imensa graça a esses enganos! Aqui vão alguns exemplos:   "Eu fazi (fiz) chichi no pote" "Aquele peixe não se mexe por está morrido (morto)" "A Joana é mais pequena que mim (eu)" "Emprocuras-me (...)
13.09.18

Sinceridade acima de tudo

Ana
Fomos à florista comprar um vaso para a tia Irene. A meio do processo o Vasco olha para o arranjo que a senhora da loja estava a fazer e e comenta: - Está feio! A senhora concordou e voltou a fazer de novo o arranjo. Eu também achei que estava feio, mas não precisei de dizer porque o Vasco adiantou-se. No final, pagámos o vaso e à saída o Vasco diz: - Vamos embora, que o chão desta loja está muito sujo... A senhora volta a concordar e com ar dócil pega na vassoura para limpar (...)
13.09.18

Primeiro dia no jardim de infância

Ana
Este foi um início de ano escolar um pouco diferente, para o nosso Vasco: saiu da creche e passou para o jardim de infância.  Embora continue no mesmo infantário, agora está numa sala diferente... com novas regras, novos brinquedos e novas possibilidades de aprendizagem!  Também mudou de educadora. Quanto às duas auxiliares, uma é nova e a outra mantem-se igual ao ano passado.  Acho importanto que uma das auxiliares se tenha mantido. Caso contrário seria muita coisa nova para (...)
07.09.18

Conversas importantes

Ana
O pai Zé contou-me ontem ao jantar uma conversa que ouviu entre o Vasco e a avó. Parece que iam os dois a sair de casa (Vasco e avó) quando a avó olha para as pernas dela e comenta: - Oh não, esqueci-me de por creme nas pernas hoje. O Vasco respondeu imediatamente: - Eu também esqueci avó. Vamos voltar para casa para por creme? As pernas têm que ficar macias!   E pronto. Para além de ter um filho com apetências vegan, parece que também vou ter um metrosexual ultra (...)
07.09.18

Um sabor excêntrico

Ana
Ainda a propósito de post de ontem, lembrei-me de uma das vezes em que o Vasco chegou a casa com um chupa-chupa na mão, oferecido peo funcionário da churrascaria.   Depois de eu o ajudar a desembrulhar o chupa, apercebo-me que era acastanhado e que o sabor era de COCA-COLA. Apreensiva, comento com o meu marido: - Olha, o chupa-chupa é de coca-cola, espero que não tenha muita cafeína. O Vasco ouviu e não percebeu nada, porque ainda não sabe o que é a coca-cola. Mas o som da (...)
06.09.18

Pérolas do Vasco

Ana
Há uma certa e determinada churrascaria perto da nossa casa que o nosso filho mais velho, o Vasco, adora. Talvez porque o funcionário desse restaurante lhe oferece sempre um chupa-chupa quando vamos lá. As coisas correm sempre muito bem... tirando a última vez. Nesse dia, o Vasco (não sei porquê) começou a ficar sentimental. No início tudo correru com normalidade. Pagámos o frango, ficámos à espera da nossa vez na fila, mas... quando finalmente o funcionário do restaurante (...)
21.08.18

Hoje

Ana
Regresso com ele à praia da minha infância. Ao farol abandonado, às pocinhas de água quente, aos rochedos, ao mar frio, ao mar de gente, às ondas, às barracas às riscas, aos entardeceres, ao vento e às algas.. Para que brinque tanto como eu brinquei. Para que se molhe tanto como eu molhei. Para que seja tão feliz como eu fui.  
06.08.18

Uma decisão radical

Ana
  Como rapaz que é, o Vasco adora tudo o que esteja relacionado com o mundo automóvel. Quem quiser fazer este menino feliz, é oferecer-lhe pistas de carros, motas e carrinhos. Disso nã há dúvidas...   No outro dia pus-me aqui em casa a contar e apercebi-me que temos mais de 40 carrinhos daqueles pequeninos (tipo faísca mcqueen, etc). É um exagero... Isto sem contar com os carrinhos que eu já enviei para casa das duas avós.    A minha casa está cheia de carros por todo o (...)

Sigam-me também em