Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Triângulo Perfeito

A vida de uma família perfeitamente normal

O Triângulo Perfeito

A vida de uma família perfeitamente normal

16.07.19

12 meses de amamentação

Ana
Nunca pensei que chegasse tão longe. Com o Vasco, filho mais velho, o aleitamento materno durou até aos 4 meses apenas, por isso pensei que com o Xavier também ficasse por aí. Mas enganei-me. O Xavier continua a gostar de mamar e não me parece que vá deixar tão cedo.  Já conseguimos que acorde apenas uma vez durante a noite para "matar o vício" o que para nós é uma grande vitória.  Parece que não, mas com ele a mamar apenas a meio da noite (em vez de 2 ou 3 vezes como (...)
14.07.19

Ainda o aniversário do Xavier

Ana
Sim... eu sei o que devem estar a pensar... que o aniversário já foi a semana passada e eu ainda ando a falar do assunto, ah ah!Podia ter dito tudo num só post, mas sei que os textos compridos são mais difíceis de ler, por isso ando a dar-vos as notícias aos bocadinhos.  Ora vamos lá começar pela decoração da festa!  Este ano não tive tanto tempo para pensar nesta parte, confesso. Para além disso, por opção nossa, acabámos por decidir gastar o dinheiro noutras coisas (...)
11.07.19

Coisas simples

Ana
A avó Licas tem um jardim enorme que pede uma piscina a condizer. Infelizmente, este ano não tivemos plafond para uma estrutura maior e acabámos por comprar uma insuflável de tamanho pequeno. Estávamos um bocado preocupados, sem saber se os miúdos iriam achar piada a uma piscina tão pequena, mas chegámos à conclusão que para os putos, desde que haja água já é uma festa! Se soubéssemos disso antecipadamente tínhamos era regado toda a gente com a mangueira lá do jardim... (...)
05.07.19

Fez um ano...

Ana
Que dei à luz mais um filho. Que renasci como mãe. Que percebi que o amor de mãe não se divide: multiplica-se! Que lambi as feridas do parto anterior e curei todas as mágoas que tinham ficado por sarar. Que me senti mais forte, mais capaz, dona do meu destino, empoderada... Que dei inicio a uma nova vida, com trabalho a dobrar, noites sem dormir, mas alegrias a triplicar Que percebi finalmente a dor e a culpa, e a frustração e a ansiedade. de não conseguir ter tempo para tudo. (...)

Sigam-me também em