Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

Os pais e a privação de sono: dados estatísticos

Dezembro 15, 2018

O Triângulo Perfeito

problemas-de-dormir-pouco.jpg

De acordo com um estudo britânico, a maioria dos pais dorme, em média, apenas 4 horas e 44 minutos por noite, no primeiro ano de vida dos bebés.

Tomando por base uma noite "normal" de 8 horas de sono, esta redução implica que os pais percam o equivalente a 55 noites bem dormidas nesse ano. 

 

As consequências desta privação de sono são devastadoras. Segundo o estudo:

- 23% dos pais assumem que passaram a ter comportamentos estranhos devido à falta de sono;

- 11% alucinaram com objetos que não existiam na realidade;

- 44% confessaram ser comum esquecerem-se do que estavam a dizer a meio de uma frase;

- 8% revelou ter-se esquecido em algum momento do nome do bebé;

- 64% sente-se orgulhoso por ter conseguido sobreviver ao primeiro ano do bebé;

 

No que toca aos "comportamentos estranhos" resultantes do cansaço e da privação de sono, estes foram alguns dos exemplos dados pelos pais:

 

- "Dei esparguete ao bebé, pensando ser hora de jantar. Mas na realidade era de manhã e era hora do pequeno-almoço".

- "Guardei a chaleira no frigorífico por engano".

- Meti comida de gato no dispensador da máquina de lavar, em vez de meter o pó.

- "Fui para a rua descalço".

 

Também ando com os fusíveis  um bocado adormecidos à conta das noites mais dormidas.

Estive a pensar (e acreditem que nesta fase "pensar" é uma tarefa difícil) e estes são alguns comportamentos estranhos que já tive neste últimos 5 meses:

 

- Guardei o frasco do azeite no frigorífico e depois não sabia dele. Passei 3 dias a cozinhar com óleo e margarina.

- Deixei a chave do carro metida na porta e fui para casa. Só reparei no dia seguinte quando não conseguia encontrar a chave. Desci à garagem e lá estava ela. Digam lá que não sou amiga dos ladrões...

- O marido pegou no bebé ao colo, mas eu continuei a balançar o carrinho com o pé durante meia hora. Na minha cabeça, estava a embalar o miúdo. Na realidade, estava a agitar um carrinho vazio.

- Saí de casa quase sem gasolina com destino ao ikea. Falhei todas as estações de serviço até lá chegar, por distração. Estava a ver que ficava pelo caminho!

- Todos as noites quando abro a porta do microondas vejo lá coisas esquecidas que coloquei durante o dia. É comida, é chá, é leite... enfim, alimentos que pus a aquecer mas depois esqueci de comer.

- Passo na rua e cumprimento pessoas que conheço muito bem, mas não me consigo lembrar do nome delas. É frustrante!!

-  Não consigo seguir as conversas do meu filho mais velho, pois estou constantemente a "desligar". Só ouço fragmentos das histórias que ele conta porque de vez em quando dá-me uns apagões e fico tipo aqueles robots de brincar que paralisam quando as pilhas acabam. 

- Entro numa divisão da casa e fico parada a olhar para o vazio porque já não me recordo o que é que eu fui lá fazer (isto é tãooooo assustador...)

 

Enfim. Sei que é uma fase passageira (olhem a redundância kkk, se é uma fase, tem que ser passageira não é? ) porque já com o primeiro filho foi igual.

Desta vez, sinto-me ainda mais "lenta" porque o cansaço é maior e o Xavi dorme muito pior que o irmão.

A sorte é que vai passar e, em breve, voltarei a ser uma pessoa normal (dentro do género distraído, é certo)

E vocês? Também se sentem cansadas e cansados?

Que comportamentos estranhos já tiveram à conta da privação do sono?

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me também em

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D