Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

Janeiro 03, 2019

O Triângulo Perfeito

Nunca perguntes a uma mãe se esta quer ajuda.

Porque ela, provavelmente, vai responder-te que não. 

 

Vivemos numa sociedade que pressiona as mães a todos os níveis. Numa sociedade em que as mães têm que fazer tudo sozinhas. De preferência com um sorriso no rosto. E sem reclamar. Porque "um filho é a maior dádiva da vida". E não se deve reclamar das prendas que a vida nos dá...

 

Se perguntares a uma mãe se esta precisa de ajuda, ela vai ter dificuldade em assumir que sim. Que precisa de muita ajuda. De toda a ajuda do mundo, aliás!

Ela vai engolir as lágrimas que chorou todo o dia e responder-te-à que está tudo bem.

Vai dizer-te que está "um pouco cansada", quando na verdade ela já desespera com exaustão.

Vai omitir que ainda não tomou banho, que saltou a parte do almoço e que deseja ardentemente por um momento de paz.

Ela vai esconder-te tantas (tantas!) coisas porque tem vergonha, porque não quer ferir o seu orgulho, ou porque acha que não estás assim tão interessado. Porque mãe que é mãe consegue fazer tudo sem se queixar. É o que dizem. E ela não quer ser diferente das outras mães heroínas que se passeiam por aí.

 

Ela vai sorrir e tu vais sentir-te melhor.

Porque já ofereceste a tua ajuda. Que mais poderias fazer?

 

Mas eu digo-te. 

Nunca perguntes a uma mãe se quer ajuda. Em vez disso... ajuda sem perguntar.

Nunca perguntes a uma mãe se podes aparecer em casa dela para conversar. Em vez disso... simplesmente aparece!

Nunca perguntes a uma mãe se ela precisa que tomes o seu bebé nos braços. Pega no bebé e dá-lhe colo, enquanto a mãe aproveita para tomar banho ou almoçar. Ela irá sentir-se feliz.

Nunca perguntes a uma mãe que presente deverás levar para o seu bebé. 

Leva-lhe pão para o pequeno-almoço, leva-lhe um refeição já confecionada. Leva-te a ti próprio. Tu és o presente!

Calça o teu otimismo e veste o teu melhor sorriso, enquanto lhe vais contando as notícias do mundo.

Porque a mãe... aquela mãe que tem a televisão ligada durante todo o dia... no meio das fraldas e das mamadas ainda não teve tempo para escutar um único noticiário com atenção.

A mãe quer falar. A mãe tem muito para desabafar. A mãe só quer 10 minutos de conversa adulta. Porque embora adore o seu bebé... está farta de monólogos.

Ou seja... Resumindo... Não perguntes a uma mãe se quer ajuda: sê a ajuda que ela precisa.

Sempre.

Mesmo que não te diga diretamente... a mãe agradece.

Sigam-me também em

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D