Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Triângulo Perfeito

Um blogue de pessoas imperfeitas. A viver num triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Um blogue de pessoas imperfeitas. A viver num triângulo perfeito.

Não percebo isto...

Ontem estava a falar com uma amiga que tem dois filhos gémeos de 6 anos e ela contou-me que uma das coisas que mais a exasperava no início da maternidade era a "piedade alheia".

Sempre que passeava no parque com os babys acomodados no seu carrinho duplo, acabava por ouvir mais tarde ou mais cedo, afirmações das pessoas que passavam:

- Coitada, sairam-lhe dois na rifa...

- Ui... que trabalho vai ter...

Estas frases, ao invés de a acalmarem, soltavam-lhe a fúria, Isto porque a minha amiga estava super híper mega feliz por ter gémeos e não percebia qual o motivo de lhe estarem sempre a falar do assunto.

- Se dão trabalho? Claro que sim, dizia-me ela ontem - Mas irritava-me muito mais os comentários alheios- complementava.

Ora, como a minha amiga nunca teve "filho único" , nem sequer tinha base de comparação, por isso achava os comentários aborrecidos e desnecessários. 

 

No meu caso, passa-se um pouco mesmo, mas com a célebre história do "casalinho".

Assim que as pessoas souberam que o segundo filho era rapaz, o comentário era sempre o mesmo:

- Deixa lá.... - seguido da irritante "mão amiga" pousada no meu ombro.

Ou da palmadinha nas costas.

 

Deixa lá? DEIXA LÁ??

 

Bolas, um filho é a maior dádiva do mundo, independentemente de ser rapaz ou rapariga. E fiquei tão contente, quando soube que era menino que até dei pulos de alegria.

 

Quando digo às pessoas que o meu desejo era mesmo que fosse outro menino, para fazer companhia ao mano, olham-me com desconfiança e estranheza achando que eu estou a mentir. 

Mas não estou!

Primeiro, porque adoro rapazes.

Segundo, porque sempre quis ter dois do mesmo sexo (já falei nisto, neste post).

Provavelmente, se o primeiro fosse menina, eu desejaria que o segundo também fosse também.

Por uma questão de partilha, afinidade e cumplicidade que as crianças do mesmo sexo têm.

Por isso... quando me vêm com a história do "deixa lá", sobem-me cá uns calores...

Olhem, fico como a Ana Bola, "arrebenta-se cá dentro um balão"... :)

Pior ainda me sinto quando não percebem que estou mesmo contente e soltam a frase célebre:

- Ah... mais ainda vai à menina não vai??

 

Argggggg!!!

 

Respondo sempre, que sim, que poderei tentar um terceiro filho (se este não me puser os cabelos em pé), mas NUNCA, NUNCA o faria para tentar ter uma rapariga. Se tiver um terceiro filho, é porque quero ter 3 filhos. E pronto :)

Sou muito amiga do destino.

O que tiver que ser, será.

Não há nada melhor que ser mãe.

E se fosse mãe de 5 rapazes, ou 5 raparigas, sentir-me-ia sortuda na mesma.

Isto não é conversa fiada. Quem me conhece sabe que sou a pessoa mais transparente, por isso se estivesse triste, facilmente se veria na minha expressão.

Não tenho qualquer desejo particular pelo célebre "casalinho".

Por isso, people... por favor... parem de dizer "deixa lá"! :))

 

 

Sigam-me também em

1 comentário

Comentar post