Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

Qui | 20.09.18

Manhãs com dois filhos

O Triângulo Perfeito

IMG_20180824_162437.jpg

Quando as manhãs correm bem, o Xavier acorda pelas 6 ou 7 da manhã. Dou-lhe de mamar e, em seguida, ele adormece num sono repousante. 

Durante a meia hora seguinte, despeço-me do marido que vai trabalhar, preparo um café bem quente e faço torradas com manteiga.

Sento-me no sofá a comer e a curtir o silêncio, e deixo os pensamentos voarem. Esta será a meia hora mais tranquila do meu dia. O ponto alto do meu nirvana.

Entre as 8 e as 8.20h, acorda o mano mais velho, o Vasco.

Dou-lhe leitinho num biberon que já tive tempo de preparar e faço-lhe pequenos quadrados de torrada com manteiga. Ele devora tudo sem reclamar e ainda pede mais.

Levo-o ao pote ou à sanita para fazer chichi, visto-o com as roupas já escolhidas na noite anterior e, enquanto faço isto tudo, o mano mais novo ainda dorme, sedado pelo "efeito maminha".

Consigo brincar um bocadinho com o Vasco no tapete da sala e, quando se aproximam as 9.15 da manhã saímos de casa todos juntos rumo ao infantário. 

O Vasco está bem disposto e não faz birra para se sentar na caderinha do carro e o Xavier ainda dorme (ou então está acordado mas muito bem disposto). 

A viagem de carro até ao infantário é sossegada e aproveito esses últimos minutos para conversar com o Vasco. 

Chegando à escola, despeço-me com um beijinho e...o Vasco entra para a sala dele todo contente. 

Sim, isto acontece muitas vezes. E é uma delícia!

Mas outras vezes, as manhã são do mais stressante que há.

 

Quando as manhãs correm mal, o Xavier acorda pelas 6 ou 7 da manhã, mas... não quer mamar. Fica acordado e quer brincadeiras, colo e miminhos.

Ocupada com ele, acabo por não conseguir tomar o pequeno-almoço e adio o meu milagroso café para outra altura do dia.

Entre as 8 e as 8.20 acorda o mano mais velho, o Vasco. Nada de novo. Mas aqui as coisas começam a correr mal, nesse preciso momento o Xavier lembra-se que afinal tem fome e... quer mamar. 

O Vasco acorda a berrar pelo pai e não quer que seja eu a prepara-lo para a escola. Diz que não quer leitinho e torradas muito menos. Estou com o mano ao colo a dar de mamar em pé, enquanto vou conversando com o Vasco no quarto dele. 

Finalmente, acede a beber o leitinho, mas não quer vestir a roupa que eu escolhi. Depois de muita conversação, chegamos a um meio termo e lá se consegue vestir o rapaz. 

Pouso o Xavier no carrinho e este começa a chorar sem perceber porque é que a "mamada" ficou a meio. Não há nada a fazer: preciso das mãos livres para vestir e pentear o mano mais velho e, infelizmente, ainda não percebi como é que se dá de mamar num sling.

Vasco arranjado, volto à carga com o Xavier e recomeço a mamada. Sento-me no sofá da sala com um, enquanto o outro me puxa para brincar no tapete. 

Com o Vasco a chorar por falta de atenção, uma vez mais, arranjo um meio termo e digo ao Vasco para vir brincar comigo no sofá. É uma loucura, uma operação arriscada brincar com um enquanto dou de mamar ao outro. Vejo carrinhos e bonecos a passarem a alta velocidade a milimetros da cara do bebé (que está a mamar) e estou sempre a pensar que um dia a coisa vai correr mal.

Vasco não se contenta em brincar no sofá, quer ficar mesmo colado a mim.

Por isso ficam três pessoas praticamente espremidas num canto do sofá (eu, Vasco e Xavier) quando podiam estar todas à vontadinha, pois o sofá é grande :))

Terminada a amamentação (com Xavier maldiposto porque não gostou de tantas paragens e barulho de fundo) coloco Xavi no carrinho e seguimos todos para a escola. 

No caminho, está um trânsito infernal porque é Dia de Feira cá na terra e demoramos imenso tempo a chegar. Xavier chora todo o caminho porque detestou a mamada, e entretanto percebo que me esqueci de o por a arrotar. Vasco refila a dizer que não quer ir para a escola e o barulho no carro é mais do que muito.

Mal consigo ouvir o mano mais velho, por causa dos berros do mais novo. Estou farta das filas e do pára-arranca. Digo mal da minha vida em voz baixa. E só penso que preciso urgentemente de tomar um café.

Quando chegamos ao infantário, Vasco chora e não quer ir para a sala. Xavier chora porque quer colinho. Despacho finalmente o mano mais velho para a sala e pego no mais novo para lhe dar novamente de mamar. 

Mamar outra vez?

Sim, a mama também serve como tranquilizante. Depois disto tudo, o bebé está tão stressado que precisa de uma maminha para relaxar. 

Portanto são quase 10 horas, ainda não meti nada sólido ou líquido à boca, estou cheia de fome e encontro-me numa sala qualquer do infantário a dar de mamar ao bebé.

Ás 11 da manhã tudo parece sossegar. Dirijo-me ao café mais próximo e, finalmente, encontro um bocadinho de tempo para mim.

 

Bem... são estas as minhas manhãs com o dois filhotes. Tanto podem correr bem, como nem por isso.

Nem imagino o que é ter 3, 4 ou 5 filhos eh eh. Deve ser engraçado! :))

E as vossas manhãs como são? Como dão conta da logística toda?

Eu ainda me estou a adaptar, mas tenho a certeza que com o tempo as coisas vão correr cada vez melhor...

 

4 comentários

Comentar post