Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

Julho 03, 2018

O Triângulo Perfeito

IMG_20180624_144737 (2).jpg

 

O meu filho é um miúdo meigo e ternurento, mas ontem estava um pouco mais doce ainda que o normal.

Portou-se lindamente, desde o momento em que o fui buscar à creche até ao final da noite. Foi um daqueles dias 5 estrelas.

Não fez birra no supermercado, e deixou-me fazer compras à vontade.

Não chorou para sair do corredor dos brinquedos.

Chegando a casa tomou banho alegremente e comeu o seu jantar sem grandes fitas. A cozinha ficou (quase) limpa.

Depois do jantar pediu-me várias vezes que brincasse com ele. Apesar de sentir algumas dores, aceitei.

Estivemos bastante tempo sentados no tapete a brincar aos "acidentes" e "tinonis" com os carrinhos e as pistas de automóveis. 

No fim, fez chichi no pote, lavou os dentes e bebeu o leitinho.

Deitou-se no chão da sala e preparou-se para dormir. Deitei-me ao pé dele e apaguei a luz.

Fiquei a pensar se aquele não seria o último dia dele como filho único.

E ao mesmo tempo que pensei isto, com impulso agarrei-lhe a mão de mansinho.

Como se de repente pressentisse o mesmo, o meu filho abraçou-me e fez-me festinhas no rosto com uma doçura maior que costume.

Quando o senti adormecer, tentei levantar-me, mas logo desisti quando ouvi um "não vás, mamã".

Fiquei mais tempo, até o sentir verdadeiramente a dormir, sempre a fazer-lhe miminhos. 

Abandonei a sala com o coração cheio de mel. 

Antes de virar para o corredor em direção ao quarto, olhei de relance para o meu filho.

Dormia tranquilamente com ar satisfeito.

Meia hora depois, o pai foi busca-lo para o levar para a sua verdadeira caminha no quarto. É este o nosso ritual.

 

Foi ali.

Foi ontem.

Naquele gigantesco abraço.

Foi naquele momento que (não tenho dúvidas) fizemos a nossa despedida de "filho único". 

Um momento só nosso e muito, muito especial.

O fim da nossa família como ela era. E o princípio de algo novo e diferente.

Não sei se o parto é hoje, não sei se é amanhã, se é depois. Mas agora sei, graças ao meu filho... que está para muito, muito breve.

 

Chamem-me louca, mas acredito que o meu filho previu que o "momento" está próximo.

E quis ter-me só para ele mais um tempinho. 

Daí o portar-se bem.

Daí a tamanha sofreguidão por mimos e abraços.

 

Talvez ele ainda não saiba que o amor de mãe não se esgota, nem se divide. 

Multiplica-se. 

Mas vai saber em breve.

Sigam-me também em

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D