Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

Dás-me um beijinho?

Numa tarde de outono, no recreio da escola, um menino parou subitamente a olhar para o chão.

- Que se passa? - perguntou a professora.
- Vou pegar nesta folha para oferecer à minha mãe.
- É uma folha linda! - disse a professora – E é amarela como o sol... deve ter caído daquela árvore.
O menino guardou a folha na mochila e aguardou, entusiasmado, que as horas passassem.
Quando a mãe chegou, correu para ela cheio de saudades.
- E o meu beijinho? - disse a mãe.
Sem corresponder, ele foi à mochila onde tinha guardado a folha de outono (o seu tesouro mais precioso) e gritou:
- Mamã, tenho um presente! - e abriu a sua mãozinha papuda - Olha esta folha linda que eu apanhei para ti!
- Ok, e o meu beijinho?- repetiu a mãe, ansiosa. Um menino bem educado dá sempre um beijo à mãe quando ela chega.

O menino deu-lhe um beijinho tímido, e deixou a folha escorregar da mão. A educação era mais importante que a folha.

 

Um dia, na escola primária, um menino fez um desenho para oferecer no Dia do Pai. 
Perdeu horas e horas a pintar, cuidou de todos os detalhes. Colocou o desenho numa caixinha em forma de coração e embrulhou com carinho.
- Está maravilhoso! - disse a sua colega do lado.
- Também acho… - respondeu ele com ar feliz, mas cansado.
Chegado o dia festivo, o menino pegou na sua caixinha e ofereceu-a ao pai.
Que lindo! - disse o pai – mas não me dás primeiro um beijinho?
- Espera, abre a caixa - pediu o menino, aflito – tem uma coisa lá dentro.
- Claro que abro, mas primeiro quero o meu beijinho. Não gostas de mim, afinal?
Gostava. Por isso, beijou o pai. O beijinho era mais importante que o seu trabalho.

 

Um dia, numas férias de verão, um menino foi à praia com os avós e apanhou conchas nos rochedos.
Escolheu as melhores conchas, as maiores e as mais perfeitas. Tão perfeitas como o amor que tinha pelos avós.
Demorou bastante tempo, mas estava confiante. 
Colocou as conchas em cima da toalha dos avós e foi tomar banho ao mar. Quando regressou do mar, contudo, as conchas já não estavam lá.
- As conchas?! - perguntou- . Era uma prenda...
- Desculpa – disseram os avós, com sinceridade – Deitámos fora… pensámos que tinhas posto as conchas em cima da toalha, para esta não voar com o vento. 
- Estou triste.
- Nao estejas. Olha, vem dar um beijinho ao avós. Que ainda não deste nenhum hoje. A tua irmã já deu.

E o menino deu, porque não queria ser diferente de sua irmã.

 

Um menino cresceu e tornou-se homem. Casou e formou uma família. Podia ter sido feliz para sempre, só que um dia…

Um dia chegou a casa e encontrou a casa vazia. A sua esposa tinha partido, deixando ESTE BILHETE:

 

“Sei que gostas de mim, mas nunca me fizeste sentir especial. Nunca me escreveste uma carta, nem um bilhete sequer. E nunca mostras O QUANTO gostas de mim. Vou contigo ao futebol, mas nunca vamos passear no parque. Nunca quiseste socializar com os meus amigos, embora eu seja já amiga dos teus. Ofereces-me joias, mas nunca dás nada que te saia do coração. Podia ser uma flor, uma pedra, ou uma concha, sei lá! Algo que nos lembrasse um momento especial. É dessas coisas que eu preciso, dessas patetices, como tu dizes. Há tanto tempo que fazemos esta “viagem” e sabes tão pouco de mim. Quando vais ao supermercado, nunca te lembras de trazer os meus iogurtes favoritos. Só trazes dos "teus". Já eu, espero pacientemente na fila do talho para te comprar bife do vazio. E tu sabes que eu odeio carne de vaca!! Os teus filhos estão distantes, porque não demonstras interesse nas coisas deles. No outro dia o Bernardo chegou a casa com um “Excelente” e tu não ligaste nenhuma, sempre a pedir ao puto para te dar um beijinho. 
Dás tantos beijinhos e abraços que até chateia. Deves achar que é isso que nos faz falta. Mas não é!
Beijinhos... qualquer homem me poderia dar. Mas eu não sou qualquer uma. Quero MAIS. 
Sei que nos amas, mas não sabes demonstrar. Acho que ninguém te ensinou.
Por isso… ADEUS.
Assinado: A tua Ex”

 

PS- Esta história totalmente é fictícia, e não se baseia na minha realidade.

É uma metáfora daquilo que eu penso em relação à "polémica do beijinho". Acho que já perceberam de que lado estou...

Sintam-se à vontade para concordar ou discordar nos comentários ao post. 

 

Sigam-me também em

6 comentários

Comentar post