Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

As crianças não têm amigos com Asperger

Fevereiro 19, 2019

O Triângulo Perfeito

Nas escolas portuguesas, sensivelmente a meio dos períodos letivos, é comum marcarem-se reuniões intercalares. São reuniões onde se faz um balanço do aproveitamento e comportamento de cada turma, delineando-se estratégias para melhoria dos resultados.

Há uns anos estive presente numa dessas reuniões, onde para além dos docentes estavam ainda presentes dois encarregados de educação (representantes) e dois alunos (a delegada e o subdelegado de turma).

A certa altura, um dos encarregados de educação pediu um pouco de tempo para abordar um tema que o preocupava:

 

"Queria aproveitar o facto de estarem aqui dois alunos desta turma para fazer um apelo. Como sabem, o João (nome fictício) tem Asperger e comporta-se de modo um pouco diferente. Quero que digam ao resto da turma que o João deve ser tratado normalmente, sem o inferiorizarem. Porque ele é um menino especial, mas merece ser tratado da mesma forma".

 

Perante este pedido, o diretor de turma ficou apreensivo e perguntou ao encarregado de educação se, por acaso, já tinha havido alguma situação mais melindrosa envolvendo o "João" e a turma. 

O encarregado de educação respondeu que não. Mas queria apenas alertar, para prevenir.

 

Quando olhei para o rosto dos dois alunos que ali estavam presentes em representação da turma, apercebi-me de alguma perplexidade. Tinham um ar surpreso, como se não estivessem a perceber nada da situação.

Mais tarde, esses mesmos alunos contaram-me o seguinte: nunca se tinham apercebido que o João tinha Asperger (nem sabiam o que isso era). E nunca o tinham tratado de modo diferente.  Tiveram conhecimento da situação do João, naquela reunião, pela boca da encarregada de educação.

 

"Para nós, o João é um rapaz normal" - disse uma das alunas. 

"Tem o seu feitio e é um bocado obcecado por carros, mas há meninos da turma que são vidrados em futebol, por isso..." - disse a outra aluna.

"É tímido, não fala muito... mas é um bom amigo"- isto foi outras das coisas que me disseram.

 

A conclusão que eu tirei desta situação é que, muitas vezes, os rótulos são colocados por nós, adultos. Sem querer, descarregamos a nossa ansiedade e medo (aquela mãe estava efetivamente preocupada e eu se estivesse lugar dela, provavelmente também estaria) e esquecemo-nos que as crianças nem sempre funcionam como nós.

Na maioria das vezes, os miúdos não têm a mínima noção dos problemas que afetam os restantes colegas. Sobretudo no intervalo etário entre os 3 e os 10 anos, estas questões passam um bocado ao lado (hà exceções, claro).

As crianças não dizem que o colega tem dislexia, que aquele miúdo é "especial" ou que é autista. E não... não estão nada interessadas nos resultados académicos dos seus amiguinhos.

Interessam-se mais por aquilo que se passa no intervalo, no recreio. Nesse espaço, fazem apenas alusão ao "feitio diferente" do colega que é mais ou menos "conversador" ou "bate nos outros". 

Basicamente, os miúdos gostam de brincar com outros miúdos. Gostam de ter companhia e não perdem muito tempo a pensar nas derivações à média.

A verdade é que as crianças não têm amigos com Asperger: têm AMIGOS! Ponto.

 

E todos os amigos são especiais.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me também em

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D