Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

Andamos a mendigar por migalhas!

Novembro 25, 2018

O Triângulo Perfeito

3.png

Vasco chegou agora do hospital onde passou a noite internado devido a uma gastroenterite severa. Mais uma, no espaço de apenas 3 semanas. Contraída na escola.


Sabem aquela história do "ah e tal, os miúdos devem ir para o infantário o mais cedo possível para apanharem as doenças e ganharem imunidade"? 


Discordo totalmente. 


O meu filho anda há 3 anos no infantário. Entrou com 8 meses e até agora não ganhou imunidade nenhuma.

Aliás, pior do que isso!

À custa de tantas viroses, está neste momento tão debilitado que eu acho que ainda tem menos imunidade do que tinha quando ingressou na escola. É que nem as rotateq e as rotacoiso nos salvam...


Por isso é que nós mães, temos que lutar!

Temos que meter mãos à obra pelo alargamento da licença parental.

Quanto mais tempo os nosso filhos ficarem em casa melhor é. Claro que a partir dos 3 anos é outra história, porque há competências importantes que se adquirem a partir daí e também é importante socializar. Mas até aí... não há nada como o aconchego da família.


Há países em que as mães têm 3 anos de licença (3 anos!) e em Portugal andamos a mendigar por mais um mês. A fazer petições para que a licença seja de 6 meses e não 5... Andamos a mendigar por migalhas e até isso nos negam...


É triste. Muito triste. 


Nem toda a gente tem possiblidade de deixar os filhos com os avós. É o meu caso.

As pessoas que não têm backgroung para deixar os bebés ou que não têm dinheiro para estender a licença (sim, porque podemos estende-la até 8 meses, mas ficamos apenas a ganhar 25% do salário o que é o mesmo que nada...), são obridados a deixar bebés de poucos meses, em pleno inverno, na creche. No auge das gripes e das constipações.


É este país que temos.

Um país que tem uma baixa taxa de natalidade e pouco faz para incentivar os casais a terem mais filhos. Está provado que nos 2 primeiros anos, o lugar dos bebés ao pé das suas mães. Por várias razões, como o desenvolvimento do sentimento de segurança, a vinculação e a proteção contra doenças. 

Respeito totalmente o trabalho das auxiliares e educadoras que tudo fazem (e bem!) para dar conforto aos nossos filhotes, mas se pudesse escolher ficaria com eles em casa durante mais tempo.

Admiro o trabalho (e que trabalho!) feito nas creches, mas a verdade é que são várias crianças numa sala e acredito que seja impossível dar muita atenção a todas. Respeitando, por exemplo, a sua personalidade e rotinas e ritmos individuais. 


Até quando vamos andar a mendigar por um Portugal melhor?! Até quando vamos andar nisto?

Com o mais velho doente em casa quase sem comer e o mais novo (que ainda mama em exclusivo) a poucas semanas de ingressar na escola... estes são os meus pensamentos de hoje.

Se concordam comigo e se acham que a licença parental deve ser alargada pelo menos mais um mês... assinem por favor esta petição. Aproveitem para ler o texto introdutório à mesma, que é bastante esclarecedor.

https://participacao.parlamento.pt/initiatives/22?fbclid=IwAR3FJ8BhidX8bnW76hw6PuUpPe199Ejif02dG1dnh5-YFGxsohHRtbEPax0

 

Mesmo que o alargamento da licença seja alargado, para mim já não irá a tempo. Mas pode ser que outras crianças no futuro possam vir a beneficiar com esta medida.

Abraço, pessoal!

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me também em

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D