Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Triângulo Perfeito

Um blogue de pessoas imperfeitas. A viver num triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Um blogue de pessoas imperfeitas. A viver num triângulo perfeito.

A luz que veio das sombras (ou como as sombras chinesas salvaram esta mãe)

235995415280EAEB05.jpg

Até há bem pouco tempo, o Vasco dormia numa cama de grades.

Ele adorava essa cama e, ao contrário de alguns miúdos, nunca tentou saltar pelas grades. Por isso, estavamos descansados.

 

Ainda podíamos ter continuado assim algum tempo, mas entretanto o baby Xavier nasceu.

Neste momento, o mano mais novo está num berço (que já está a ficar pequeno) por isso brevemente passará para a cama de grades.

Ora... se um mano entra, o outro tem que sair, não é? :) Não vão ficar os dois espremidos na cama de grades. 

Antecipando esse momento de troca... comprámos uma cama grande para o Vasco.

Depois de muito pensar (e um dia explicarei as razões da nossa escolha) acabámos por comprar uma cama branca da Ikea para o mano mais velho. 

 

A questão que se punha era agora a seguinte:

Como fazer a transição de forma simpática e divertida? Como tornar a cama grande mais apetecível que a cama de grades?

 

Bem, a verdade é que quando viu a cama nova, o Vasco achou-a gira mas... não queria lá dormir. Estava demasiado apegado à sua pequena e adorada cama de grades...

A nova cama é branquinha e de linhas simples com muita arrumação em baixo. É uma cama "de solteiro", com alguma distância do chão. 
(um dia explicarei as razões desta opção nada Montessoriana mas que foi muito pensada, acreditem)

 

Como Vasco não parecia muito entusiasmado decidimos fazer a transição de forma suave. Sem o pressionar muito, para não criar traumas ou aversão à cama.

Portanto, quando ele quisesse lá dormir... dormia. E quando não quisesse, ficaria na cama de grades.

 

A coisa acabou por ser muito simples e pacifica. 


Uma noite, o Vasco pediu-me para lhe contar uma história antes de ir dormir. 
Disse-lhe que sim, mas que teria que ser na "cama grande". 
Deitamo-nos os dois... desligámos as luzes, deixando apenas uma pequenina luz de presença.

 

Quando olhei para a parede onde a cama está encostada vi a sombra de um móvel. E nesse instante tive uma ideia fantástica:
Vou fazer sombras chinesas!!


Contei-lhe a história do patinho feio usando as mãos para projetar sombras na parede. 
Ele gostou tanto que me pediu outra, e outra e história. E no fim... adormeceu feliz.
No dia seguinte acordou na sua cama nova, desceu sozinho por ela e foi ter connosco ao quarto. Foi engraçado acordarmos com um miúdo a dizer "Estou aqui...estou aqui...!"

 

A verdade é que graças às sombras chinesas estar na cama grande passou a ser sinónimo de momentos felizes. E tem sido uma risota pegada à noite com as histórias que eu ou o pai inventamos.

 

As sombras chinesas foram o botão de "play" para a nova fase da vida dele, mas a partir daí o filme desenrolou-se sozinho.

Neste momento, já não preciso de recorrer todos os dias às sombras chinesas para o Vasco dormir na sua cama nova. Porque já se apegou a ela. Já fez "amizade" com a sua nova parceira de sonecas. 

O Vasco nunca mais quis dormir na cama de grades. Isto saiu-nos melhor que a encomenda. Ainda faltam 3 meses para o mano mais velho ir para a cama de grades e esta já se encontra "vaga". 

 

E vocês? Como convenceram os vossos filhos a mudar de cama? E como correu a "transição"?

 

 

 

Sigam-me também em

3 comentários

Comentar post