Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

Sabem qual é a frase que uma mãe mais deseja ouvir?

Junho 27, 2018

O Triângulo Perfeito

 "Tu és uma mãe excelente".

Não, não é esta frase. Claro que qualquer mãe deseja ver o seu empenho reconhecido, mas não é certamente à opinião alheia que vamos buscar a tranquilidade.

 

Hum... Será então a frase "eu gosto tanto de ti" ?

Que mãe é que não deseja ouvir esta declaração de amor proferida pelo filhote?... E, de preferência, acompanhada de um abraço sentido?

 

Mas não, desenganem-se.

Também não é esta a frase que nos faz vibrar o coração.

 

E qual é então?

Descobri hoje.

 

De manhã, fui levar o Vasco ao infantário.

Ele entrou no recreio aos saltos, todo contente a mostrar aos colegas a sua "indumentária" nova.

É que, por cima da roupa normal do dia-a-dia, o Vasco levou um roupão de felpo, daqueles que se usam depois do banho, kkkk.

O roupão é azul e tem uma carapuço com a cabeça de cão, orelhas e focinho. É tãoooo fofinho!

O Vasco gosta de vestir aquilo e fingir que é um cão. 

Quando hoje reparou que o roupão estava na casa de banho, nunca mais o quis tirar.

Não vi problema algum naquilo. Chamem-me louca...

 

Olha Benedita! Sou um cão! Au, au au!  - foi assim, nesta animação que o deixei na escola, a conversar com os colegas. Sem choros, nem dramas. Todo contente da vida, com os amiguinhos de roda dele, a fazer festas no roupão.

 

Já de saída, converso um pouco com a auxiliar (para saber como tem andado o desfralde) e nisto ela diz-me a MELHOR FRASE DO MUNDO:

 

- Sabe mãe... o seu filho é um miúdo mesmo feliz! É íncrível, nota-se mesmo!

 

A FELICIDADE dos nossos filhos.

É isso que a nós, mães, nos enche o coração. 

Tudo o resto... opiniões, comparações, sugestões... nos passa completamente ao lado.

 

Sempre soube que o meu filhote era uma criança "satisfeitinha da vida". Mas ouvir isso das pessoas que mais convivem com ele no dia-a-dia, foi a confirmação desse facto. 

Concordei com a auxiliar e saí da escola de sorriso no rosto.

 

Que sejas sempre assim, meu filhote.

Risonho e tranquilo com a vida. Que eu cá estarei para te encher de mimos sempre que precisares.

Espero daqui a muitos anos, continuar a ouvir que tu és o miúdo, o adulto, o profissional, enfim, o ser humano, mais feliz do mundo.

 

Festa de Fim de Ano na escola do Vasco

Junho 20, 2018

O Triângulo Perfeito

35705161_1808669089156294_5344288666099384320_n.jpg

 

Foi ontem a Festa de Final de Ano do Vasco. O tema global da festa foi a "Alice no País das Maravilhas". 

Durante cerca de 90 minutos, fomos transportados para um mundo de sonhos e fantasia, com muita música e cor à mistura.

A turma do Vasco foi a primeira  a atuar, com uma dança divertida. 

Foram poucos minutos (porque eles ainda são tão pequeninos!) mas o suficiente para nos babarmos de orgulho.

A primeira festa de fim de ano do Vasco... yeiiii.... que emoção!!

Deixei, no meu facebook, uma homenagem/dedicatória a todos os profissionais responsáveis pela festa. 

Tendo em conta, as dificuldades que a classe docente/auxiliares/educadores atravessam, acho que a homenagem foi mais que merecida.

Deixo aqui a transcrição do texto que publiquei no meu "face"... 

 

"Agradeço a todos os educadores, auxiliares e técnicos que tornaram ontem possível a Festa de Fim de Ano da escolinha do Vasco. Vivemos momentos de emoção, com muito riso à mistura, mas também deixámos cair algumas lágrimas de orgulho pelos nossos filhotes. Num momento em que tanto se fala da falta de empenho dos profissionais dedicados à educação, é bom mostrar exemplos destes.
Quantas horas, dias, meses terão sido necessários para organizar uma festa desta dimensão? 
Em quantos momentos fora do horário escolar se terão reunido estes profissionais para nos poderem brindar com este espetáculo? 
Momentos esses que não foram, nem nunca serão contabilizados como "serviço efetivo" pela opinião pública que anda mais entretida com mundiais de futebol e crises do sporting e que persiste (muito graças à ação demolidora dos média) em odiar esta classe. 
Da minha parte, estes profissionais só podem contar com gratidão e admiração. Bem hajam! E que continuem assim... "

A minha cria não sabe cantar

Março 29, 2018

O Triângulo Perfeito

Sempre adorei ouvir as crianças a cantar. Sobretudo se forem muito pequeninas!

Acho imensa graça quando tentam reproduzir a letra das músicas, com o seu português "abebezado". 

Conheço vários miúdos da idade do V. (dois anos e alguns meses) que já cantam imenso.

Ora é a música dos patinhos, ora é a do "balão do João", ora é a do "atirei o pau ao gato"... mas o meu filho não está nem aí para isso.

 

A verdade é que ele fala muitissimo bem (mãe babada!), exprime-se com clareza, está sempre a tagarelar.

 

 

Mas...

... se lhe peço para cantar uma música, ele faz de conta que não ouviu, ou simplesmente recusa-se.

O máximo que já consegui até hoje foi que ele completasse as minhas frases.

E sempre com ar de quem me está a fazer um favor. Mais ou menos assim:

 

- O balão do....

- ... João. (continua a brincar com os carros e não olha para mim)

 

- Sobe, sobe, pelo...

- Ar! (diz isto já a ficar contrariado e com vontade me mandar pastar)

 

- Está feliz, o ...

- ... João? (não, Vasco... era o petiz, mas pronto... de facto vai dar ao mesmo)

 

- a cantaro....

- Lar!!  Vamos brincar com o carro mamã?

 

Ok vamos... vamos lá brincar pela trigésima vez às "oficinas", meu amor.

 

Estudei música no conservatório, tenho o piano estacionado no escritório à espera que uma das crias ganhe interesse pela arte.

Mas... algo me diz que o meu filhote nunca vai concorrer ao "achas que sabes cantar" :))

 

Nada contra: o que interessa é que seja feliz! É a sua carinha laroca de felicidade que mais me faz vibrar.

No meio dos seus carros, com o "tinoni" a apitar e as motas a fazer brrummm, brrummm, o som do riso dele é... a música perfeita para os meus ouvidos!

Não sejas tão exigente, mamã!

Janeiro 04, 2018

O Triângulo Perfeito

Agora que o Vasco, do alto dos seus 2 anitos, já consegue manter uma conversa com alguma coerência, resolvi ensinar-lhe algumas regras de boa educação.

Ando a ver se ele interioriza o "se faz favor" quando pede alguma coisa, e o "obrigada" para agradecer no fim. 

A sensação que eu tenho é que ele ainda não percebeu bem o significado dessas expressões, mas acaba por dizê-las para fazer a vontade à chata da mãe...

O mais engraçado é que no meio da sua confusão, acaba por trocar tudo. 

No outro dia começou a a pedir para eu lhe entregar um carrinho que estava em cima da mesa...

 

- Dá-me! Dá-me! - berrava alto, aos saltos.

- O que é que se diz, Vasco? (mãe, a insistir com ar de professora condescendente)

- "Se tás pavor" mamã!

- Não é "pavor"... Como é que diz?

- Carro, mamã. Diz-se carro!! - responde apontando para o dito cujo.

 

Ok...

Outra, do mesmo género:

 

- Dá-me a chupeta, mamã!

- Se faz...

- ... favor, Mamã!

Dou-lhe a chupeta toda satisfeita e pergunto:

- E agora, o que é que se diz no fim?

- Vamos para a caminha.

- Não! É outra coisa!

- Vamos para casa da vovó? (ar de gatinho das botas)

 

Ah ah! Isto está a correr bem, não está? :) 

O que é que os vossos pediram ao Pai Natal?

Dezembro 21, 2017

O Triângulo Perfeito

O Vasco ainda está a assimilar a ideia de que existe um homem de barbas e fato vermelho que desce pela chaminé para lhe dar prendas. 

Acho que na cabeça dele, todo o cenário lhe parece um bocado bizarro. 

Mas quando lhe pergunto o que quer que o Pai Natal lhe traga responde sempre que quer... um carro azul!

E os vossos, o que pediram de prenda este ano? :)

Os nomes que eles inventam

Dezembro 20, 2017

O Triângulo Perfeito

Ultimamente, o Vasco tem adormecido no meu colo ou no colo do pai. Bebe o leitinho na poltrona do quarto e depois encosta-se um pouco a nós, enquanto lhe contamos uma história. 

Umas vezes resulta, outras vezes parece que o moço tem pilhas duracell e ficamos para ali quase 40 minutos.

Quando parece que está quase a dormir... começa-se a rir, a falar da kikas (nossa gata) ou a dizer coisas sem nexo mas que fazem muito sentido na cabeça dele.

No outro dia espirrei (é tão frustrante quando espirramos nesses momentos!) e ele, que já estava a dormir, ou pelo menos parecia,  levanta a cabeça e diz:

- Viva!

Já ontem, comecei a ouvir a barriga dele a roncar e a soltar-se alguma flatulência (nada de mais). Pois não é que o rapaz que estava no sono mais profundo se levanta de repente e grita:

- Dei um fufa-fufa! Dei um fufa-fufa!

E começa a rir que nem um perdido...

Fufa-fufa? Já ouvi chamar muita coisa aos "puns". Mas isto não. Onde terá aprendido? :)

Até é um nome fofinho... acho que vou começar a usar...

 

Organizando a festa do Vasco

Novembro 07, 2017

O Triângulo Perfeito

No ano passado a festa do Vasco foi em grande!

Escolhi um sítio espetacular (já contei tudo sobre isso aquiaqui), apostei forte na decoração, selecionei todas as iguarias ao ínfimo pormenor... Não há dúvidas: a festa foi linda!!

E este ano? Bem, este ano a verdade é que me atrasei um pouco nos preparativos. Só há uma semana é que comecei a contactar e a mandar mails para as empresas que normalmente organizam estes eventos, e a verdade é que não fazia sequer ideia do tema a escolher. 

A verdade é que estou num emprego um pouco mais longe de casa e perco muito tempo em deslocações (desculpas...). E para além disso, este ano acordo muito mais cedo (mais desculpas!!) e chego a casa num farrapo.

Sinto-me mais cansada que o costume e sem aquele ânimo que me faz transformar qualquer festa num evento memorável (desculpas, desculpas, desculpas...)

Por isso, este ano e depois de pensar um pouco, optei por fazer uma festa mais simples: 

Como o aniversário do Vasco calha a um domingo (dia em que a família habitualmente se reune), para não negligenciar ninguém decidi juntar a família e os amigos na mesma casa. 

Como são à volta de 50 pessoas, facilmente concluí que a casa tinha que ter algum espaço... logo, não podia ser a minha, eh eh!

A avó paterna, que tem uma casa muito gira e com um jardim super agradável ofereceu o espaço, alguns  petiscos (como aquelas pataniscas que eu adoro, nham!).

Eu tratei do lanche. Contratei os serviços de uma senhora que faz croquetes, bolinhos, rissóis, bolos, panados, sobremesas e ainda o bolo de anos, mais as bolachinhas temáticas. 

Esta senhora já organizou a festa de uma amiga minha e eu gostei bastante. Estou ansiosa por ver o bolo!

Vou a casa dela no domingo buscar tudo quentinho e levo para casa da minha sogra, para o "mega-lanche"!

Quanto à decoração, este ano vou ficar por minha conta. Já comprei umas coisitas, e fiz outras eu própria. Nada de especial, mas acho que vão ligar bem com o tema da festa.

E qual é o tema da festa?

Bem isso e outros pormenores ficarão para o próximo post! :))

Recomeços

Setembro 11, 2017

O Triângulo Perfeito

Setembro é o mês do regresso à escola. Regressa a mãe, que é professora e regressa o bebé, ao infantário. Cabe ao pai a tarefa de gerir um pouco a ansiedade dos outros dois, já que este é um mês de muitas (demasiadas) novidades que nem sempre são digeridas da melhor maneira. 

Do regresso da mãe, posso dizer que foi um pouco mais atribulado que o costume. Em vez de ficar colocada na primeira "ronda" de resultados, desta vez só fiquei colocada na segunda fornada. 

A semana que mediou a saída das duas listas foi de alguma ansiedade (e medo, pois os colegas que entretanto já tinham sido colocados ficaram a centenas de quilómetros de casa), mas no meu caso acabou por não correr muito mal. Fiquei perto de casa, e numa das minhas primeiras opções. 

Entre o saber o meu horário, escrever para as editoras a pedir os livros adotados na escola, começar a fazer as planificações, reunir com os colegas de departamento... os últimos dias passaram a voar. 

Quarta-feira é o dia de conhecer os meus novos alunos. Esta é a parte que mais gosto: dar aulas. Toda a "palha" associada ao ensino era para mim dispensável. Grelhas, papelada, burocracia, cargos que nada têm a ver com a prátca letiva, bah.. Dispensava isso tudo. O que me dá pica é mesmo (e só) o momento da sala de aula. 

O regresso às aulas do bebé aconteceu no dia 6 de setembro. Podía tê-lo levado logo no dia 1, mas preferi ficar com ele no miminho mais alguns dias, 

Este ano houve uma grande mudança. O Vasco passou da sala de 1 ano, para a sala dos 2 anos. 

Mudou de espaço, de educador e de auxiliares. Apenas uma das auxiliares se manteve, de modo a garantir uma certa continuidade. 

Para já, a experiência está a correr muito bem. O Vasco adaptou-se muito bem à nova sala, que é maior e tem muito mais brinquedos e também me parece que gosta bastante da educadora/auxiliares. 

Não tem chorado quando o deixo ficar na escola e só isso já me traz algum descanso. 

A turma dele mantem-se mais ou menos a mesma e é engraçado ver que ele já chama os coleguinhas pelo nome. 

Este ano vai deixar de comer nas cadeirinhas e passar a comer numa mesa com cadeiras. Estou um bocado apreensiva porque sei que o Vasco não é propriamente o menino mais sossegado a comer. 

Já estou a imaginar pratos pelo ar e a comida toda no chão... Vamos ver como corre. 

Na reunião de pais recebi algumas informações interessantes. Uma delas é que este ano, a turma do Vasco já vai participar na FESTA DE FIM DE ANO. Cooool! Estou morta por ver como é que o meu bebé se vai sair!

A outra novidade é que a sala dos 2 anos já tem um manual/livro escolar associado.

Já vi o livro. É da Porto Editora e é super apelativo. Tem atividades muito giras para eles fazerem :)

Outra informação que me pareceu importante, é que este ano o colégio decidiu não festejar o Dia do Pai/Dia da Mãe nos moldes convencionais. 

Eu concordo com isso, e até vou falar disso no próximo post. Fiquem a aguardar! :)

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me também em

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D