Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

Lei de Murpy do Pão...

Setembro 12, 2019

O Triângulo Perfeito

Cá em casa falta sempre pão e isso é uma coisa que tira do sério. Parece que nenhuma das nossas estratégias funciona.

Se compramos pão com antecedência (tipo no dia anterior) ... na manhã seguinte esquecemos que tinhamos comprado e comemos cereais ou bolachas.

No dia seguinte, descobrimos o pão mas... já está seco!

Se não compramos pão, é certo e sabido que é nesse dia que nos vai apetecer comer.

Se compramos pão para congelar, naquela manhã estamos com pressa e nao descongelamos. Ataca-se bolachas ou cereais.
Se descongelamos o pão... esquecemos dele no microondas e só reparamos nisso à noite quando vamos aquecer a sopa ou qualquer outra coisa.

Dasss. Esta história do pão é um bico de obra!
O que vale é que o Vasco come leite com bolachas e o Xavier come papa...

Sabem do que eu tenho saudades? De quando vivia na aldeia e todos os dias o senhor do pão ia pendurar o saquinho com pães à porta de nossa casa. Isso sim, era qualidade de vida! :)

Festa de fim de verão 2019

Setembro 09, 2019

O Triângulo Perfeito

Pão. Vinho na mesa.

Risos aqui e ali. Gente que vai chegando aos poucos. 

Uns sentam-se. Outros ficam em pé, a conversar.

Panelas de ferro gigantes. Massa à lavrador. Feijoada à moda do Porto.

Coisas leves. Leves! Que isto era para ser um picnic. 

Esteve até à última para ser um picnic no campo. Mas transformou-se numa festa em casa da prima.

Mas mesmo que fosse para merendar ao pé do rio, a ementa era a mesma.

Gente do norte... gente que gosta de comer. 

Boa cama, boa mesa. Quem não é para comer, não é para trabalhar. Tudo serve de pretexto para mais um prato cheio de solas e de feijão.

Abre-se mais uma garrafa. Vinho verde fresquinho. 

O pessoal da coca-cola põe mais uma pedra de gelo no copo.

Panados para as crianças. Rissóis. Arroz com fartura. 

Mesa comprida, cadeiras de plástico. Uns sentam-se, uns levantam-se. Nunca estamos todos sentados.

Um bebé come, outro quer dormir. 

Mete-se uma piscina insuflável dentro da garagem. Os miúdos tomam banho enquanto a gente come. 

Vamos para a piscina cedo de mais. Calor aperta. Há que aproveitar os últimos cartuchos do verão.

A piscina cheia de insufláveis. O flamingo do ano passado, o crocodilo deste ano. É a selva aquática.

Atiram-se pessoas à àgua. Uns berram, outros riem-se.

Este ano salvaram-se os telemóveis. Já ninguém anda com eles no bolso: aprenderam a lição.

Canta-se aqui e a li. Põe-se a coluna de som a berrar. 

Improvisa-se uma discoteca. Os mais novos ensinam os passos de dança dos hits deste ano.

Alguém pede uma sessão de Karaoke. E alguém insiste que sem microfone não tem piada.

"Fecha a porta, apaga a luz, vem deitar-te ao meu ladooooo".

Uma prima fecha o punho e faz de conta que tem um micro. A outra agarra uma lanterna e canta sem problemas.

E ficam horas de regressar a casa. 

Colocamos os miúdos no carro, dizemos Adeus e esperamos que o portão da casa da prima abra. 

O carro desliza na estrada de paralelo da aldeia e ainda ouvimos ao longe o concerto das primas:

"Fecha os olhos, esquece o tempo, nesta noite sem fiiiiiiiim"

E é isto. 

Para o ano há mais.

69867810_1008107049531835_5507039193286574080_n.jpg

 

Uma situação embaraçosa... (que deu o mote para um lição)

Setembro 06, 2019

O Triângulo Perfeito

Ontem à tarde fui buscar o Vasco e o Xavier ao infantário e como ainda era relativamente cedo, fomos todos comer um gelado ao café mais próximo.

Estávamos já sentados na esplanada do café quando, sem que nada o fizesse prever, o Vasco começou a arregalar muito os olhos.
Com ar surpreso, apontava para uma mesa que estava atrás de mim, dizendo em voz alta:

- Preto!! Mamã, olha! Olha uma pessoa preta! Está toda pretinha!! Fez muita praia?

Comecei a virar os olhos para a mesa de trás, na esperança que o Vasco estivesse a referir-se à cor da roupa do senhor, mas... não. Estava mesmo a falar do tom de pele....

E ali estava um senhor, que era de facto negro, com um ar muito calmo e aparentemente absorto. A tomar o seu café descansado.
Não sei se o senhor estava mesmo distraído ou apenas a fingir que não ouvia o Vasco. Prefiro acreditar na primeira opção porque a situação era muito embaraçosa.

Comecei a dizer ao Vasco para este não apontar assim para as pessoas, e muito menos se falar do tom de pele.

- Mas por que é que não posso dizer que ele está moreno? É que está mesmo preto. Preto!!!!

(e ia aumentando o tom de voz, a modos que no café já toda a gente o ouvia).

A dada altura, percebi que não era ali, nem naquele momento que ia conseguir ter sucesso com a minha lição de moral.
Por isso desviei-lhe a atenção para outras coisas, devorei rapidamente o meu gelado e saímos o mais rapidamente do café.

Ainda olhei de soslaio para o senhor da mesa atrás, para lhe pedir desculpa pela situação, mas este continuava distraído a ler o jornal, como se nada se tivesse passado. Por isso achei que não valia a pena insistir.

Assim que chegámos ao carro, expliquei ao Vasco que há pessoas com cores de pele diferentes e que isso não tem nada a ver com a praia ou com estarem morenas.
Disse-lhe ainda que ele não devia apontar, nem gritar, nem mencionar o tom de pele dos outros.

- Imagina que ias para África onde toda a gente tem pele escura. Gostavas que de repente, no meio da rua, as pessoas começassem a olhar para ti e a gritar:
"Branco! Branco!! Olha um menino branco!"

- Não...Não gostava...

- Pois não. Isso seria muito embaraçoso, não achas? Ias ficar muito chateado.

Depois disto, conversámos mais um pouco e eu senti que o assunto ficou mais ou menos interiorizado.

Chamo atenção para um detalhe. É que na nossa cidade (uma cidade provinciana do norte do país) ao contrário de Lisboa ou Algarve, não é tão frequente vermos pessoas de outras raças e etnias.

Daí eu compreender um pouco a surpresa do Vasco, porque de facto ele nunca tinha estado frente a frente com uma pessoa com cor de pele diferente.

Mas compreender, não significa deixar passar os comentários, por isso... ontem foi dia de dar uma lição sobre aceitação, amor ao próximo, igualdade e cidadania ao meu filhote.

Vamos falar de séries?

Setembro 04, 2019

O Triângulo Perfeito

Embora o cansaço seja muito e não tenha grande tempo para o fazer, a verdade é que depois de deitar os miúdos gosto de ver algumas séries na TV. 
Anatomia de Grey está sempre na lista, assim como a Casa de Papel.
Ultimamente, descobri ainda na neflix uma série espanhola chamada VIS A VIS que adoro!

É dos mesmos criadores da Casa de Papel e tem o bonus de incluir duas das atrizes dessa série.
( A Alba Flores que faz de Nairobi está em Vis a Vis com mais um papel espetacular.)

A série relata a história de uma rapariga ingénua (tão ingénua que até cansa...) que é manipulada pelo namorado e embora inocente, acaba numa prisao de alta segurança. 
A partir daí vamos assistindo à forma como ela passa de vítima a líder da prisão. Com muitas brigas, duelos e paixão pelo meio.

Conhecem a série? 😉 Vale a pena ver!

vis-a-vis.jpg

 

Ele quer fazer tudo o que o mano faz...

Setembro 03, 2019

O Triângulo Perfeito

...e isso só nos facilita a vida. 😀 

Lembro-me que foi um 31 fazer o Vasco gostar de lavar os dentes. Comprámos ene escovas de bonecos, pastas dos dentes do faisca e o diabo a quatro...

Com o Xavier foi super fácil porque ele quer imitar o irmão em tudo!

Quer brincar com brinquedos do mano (despreza totalmente brinquedos de bebé), quer comer o mesmo que o mano e até já aprendeu a beber de palhinha! Já mostra interesse na colher e quer espetar o garfo na carne... e quanto aos dentes ficou super feliz quando lhe dei uma escova.

Agora é o máximo vê-lo a subir o banquinho para escovar os dentes tal como o mano. Já houve brigas por causa do banquinho por isso acho que vou ter que comprae outro!

69621517_1004173263258547_6566372664728879104_n.jpg

Primeiro dia de aulas

Setembro 02, 2019

O Triângulo Perfeito

Miúdos na escola, tomo pela primeira vez em 15 dias um pequeno almoço descansada. Sem ter que interromper para mudar cocós, separar brigas de irmãos, dar colo, limpar sujidade do chão...

Mãe também precisa de férias. E é bom que a sociedade perceba que somos mães... não somos mártires nem candidatas a santas.😀

Vasco foi para a escola entusiasmado, sobretudo porque este ano mudou para uma sala nova. Estava ao rubro!
Ao Xavier custou mais e chorou um pouco mas sei que tudo faz parte do processo.

Tenho dois dias para descansar antes de o trabalho começar em força. E quero aproveita-los bem. Sem culpas.

Sinto que mereço este miminho porque embora adore ser mãe, também adoro todas as minhas outras "vidas". E foram dias muito cansativos os últimos. Não tive muitos momentos pata relaxar, cuidar da minha aparência ou simplesmente para estar só.

Sou um bocado eremita, e para mim a solidão nem sempre é má. Aliás fazem-me imensa falta momentos de silêncio e solidão.

Há pessoas que adoram ginásio, outras relaxam com cabeleireira. Eu gosto disso tudo, mas se me perguntarem o que mais me fez falta nos últimos 15 dias... acho que foi a falta de momentos a sós. Preciso desses momentos como de água para viver. E não consegui porque estava sempre acompanhada por 1 ou 2 miúdos.

Os miúdos vão para a escola e eu vou para o trabalho, sendo que em certos aspetos o trabalho vai saber a férias.

Acho que muitas mães percebem o que quero dizer... :)

"Cenas egoístas"

Setembro 01, 2019

O Triângulo Perfeito

Hoje ao almoço fui com o meu filho ao burger king. Pedi para ele um menu infantil e como sobremesa a integrar esse menu escolhi um gelado tipo sunday. Ele não me viu comprar o gelado porque estava a jogar uma atividade interativa que há lá no burger king.
Não resisti e enquanto ele comia os nuggets e brincava lá no tapete interativo ... comi o gelado dele!
Ah, mas foi só um bocadinho... dizem vocês. 
Não. Morfei-lhe o gelado todo. Todinho! Assim mesmo à gulosa com a colher debaixo da mesa para ninguém notar. E não fui comprar mais porque havia montes de fila para comprar refeições.

Vá... agora contem lá vocês uma cena super egoísta que tenham feito recentemente.

Serei a única a cometer estes pecados? Desbronquem-se todas. Não me deixem só nesta estrada 🍦 

#cenasegoistas #quebemquesoube #eumereço#abaixoaculpa

Ás vezes temos que mudar de óculos...

Agosto 28, 2019

O Triângulo Perfeito

(leiam até ao fim para não formarem julgamentos precipitados)

O meu filho mais velho sempre foi uma criança ativa e desembaraçada. Aprendeu a andar com 12 meses, desfraldou sem qualquer problema na altura em que "supostamente" o deveria fazer, e até a chupeta deixou por livre iniciativa... Impecável...

Para além disso, o Vasco sempre mostrou um vocabulário excelente, criatividade, rapidez de raciocínio e memória para acontecimentos do dia-a-dia. Isto para não falar das suas capacidades de argumentação.

Eu tinha todos os motivos e mais alguns para estar cheia de baba a escorrer Tenho em casa um miúdo inteligente e sensível, que desperta sorrisos por onde passa!

MAS…. nos últimos tempos,comecei a ficar preocupada e... até mesmo... ok, vou dizê-lo... desapontada (???).

Parecia que apesar dos meus esforços ele não conseguia acompanhar as outras crianças em alguns sentidos. E o meu coração começou a bater mais forte de apreensão.

E então, que "lacunas" eram estas?

Bem... o Vasco aparentemente (e leiam até ao fim!) tem dificuldade em contar. Com quase quatro anos, arranha até ao número 5 e não mais do que isso. 
Por outro lado, o Vasco demonstra dificuldade em memorizar letras de músicas. Só há pouco tempo conseguiu trautear os parabéns (e com enganos). Eu via os vídeos que as minhas amigas postavam nas redes sociais com as habilidades das suas crias a cantar e a dançar e… sentia-me frustrada, embora sabendo que esse sentimento era estúpido.

Ah, e o Vasco tem dificuldade em estar atento, assim como em ficar sentado a ouvir os professores/pais. Não consegue estar parado. Isso é um facto.

Para além disso denota dificuldade em pintar/desenhar e não mostra qualquer interesse nessa área. Se lhe disserem para pintar dentro da linha em pinta por fora de propósito.

Na coreografia da festa de fim de ano letivo, ufff! O Vasco não acompanhou a dança e mostrou-se indiferente aos gestos que acompanhavam a música. Eu senti-me… envergonhada...

À custa de tanto ver as outras crianças fazerem coisas que o meu filho não fazia, acabei por entrar num processo diabólico de dar valor às coisas más em vez de reparar nos seus pontos fortes. 
Foi um processo inconsciente, mas que se tornou repetitivo até me aperceber que estava a agir mal.

Até porque, como entretanto acabei por perceber, muitas das dificuldades do Vasco não são reais (algumas são, mas não todas), mas aparentes.

Como? PASSO A EXPLICAR.

1- A música

Sim. É verdade. O Vasco nunca chegou a casa a trautear qualquer canção que tivesse aprendido na escola. Até cheguei a duvidar se frequentava mesmo as aulas de música.
Contudo... Ele decora lengalengas se as achar giras, canta os refrões de músicas pop comercial e até faz variações das letras com frases suas.
É criativo, o rapaz!
Ou seja, o Vasco gosta de cantar. Só não acha piada a músicas infantis tipo "os patinhos" e "atirei o pau ao gato". Mas adora funk e kizomba ah ah.

2- Os números

A história dos números... um pesadelo para mim.
Até ao dia em que o observei a jogar às escondidas com a prima, e descobri que afinal ele consegue contar "na boa" até ao 12 (ok, não é muito, mas já não é assim tão mau).

3- As danças

Ui… as coreografias da escola... Que vergonha eu passei quando vi todos os meninos no auditório a dançar alinhados e o meu totalmente desconcentrado e fora de ritmo, a olhar para o lado oposto do palco...
Mas então o Vasco não gosta de dançar?
Claro que sim!! Ele adora!

É só colocar uma música pop mexida que ele fica todo alegre a abanar o capacete. 
Simplesmente... não consegue entrar numa coreografia com outros meninos, porque tem dificuldade em concentrar-se e é tipo bola de neve. Como não consegue acompanhar... acaba por desmotivar.

Para além disso, acabei por perceber que, quando alguma coisa não faz sentido ou não tem interesse para o Vasco… ele não faz qualquer esforço para se alinhar com a manada.

Tenho um filhote muito inteligente e que, apesar dos seus 3 anos, já quer fazer as suas próprias escolhas. Basicamente, só faz, só aprende e só repete… se fizer sentido para ele.

(Muito sinceramente, acho que nos cabe a nós, adultos, dar-lhe essa motivação e leva-lo a perceber o sentido das coisas.)

Ele não vai dizer os número até 10 na minha frente só porque eu pedi. Porque não é nenhum boneco amestrado. Mas sabe os números e usa esse conhecimento quando lhe faz falta!Por exemplo, a jogar às escondidas.

Ele não canta os patinhos, nem o baby shark porque não tem qualquer interesse nisso. Nem faz gestos que considera parvos e sem sentido, só porque sim. 
Mas sabe imensas coisas de cor, como nomes de planetas, marcas e peças dos carros, partes das plantas, nomes de animais!

O meu filho sabe tantas e tantas coisas! Por que é que nós, adultos, nos fixamos naquilo que é “standartizado”?

SÓ UM PORMENOR…

Na semana passada, aproveitando o facto de estar mais tempo com ele, obriguei-o a pintar um desenho com muito cuidado e sem sair da linha. Estava irritada porque estiveram cá em casa uns amigos que pintaram montes de desenhos bem feitos, por isso subornei-o, usei todas as estratégias da parentalidade (in)consciente para conseguir uma pintura de boa qualidade.

Passado meia hora de birras e choros consegui que o meu filho pintasse uma borboleta com as cores certas e “dentro da linha”. Enfim, como fazem os filhos de alguns conhecidos nossos.

Muito satisfeita, “porque afinal ele sabe, ufff que alívio”, peguei no desenho e disse-lhe:

- Vês que giro? Vamos afixar na nossa parede?

RESPOSTA…

- Está bem mamã. Já posso sair do castigo?

CAS-TI-GO???

Eu fiquei branca, amarela, verde, de todas as cores e… caramba, percebi.

Primeiro percebi que ele vai ser uma pessoa muito, muito melhor do que eu.
Acredito que vá ter alguns problemas na vida por causa da sua atitude rebelde, mas não é nem nunca será um seguidor da carneirada. 
Desde que nasceu que tem desafiado os meus limites e sei que vai desafiar os limites em muitas áreas da vida. 
Preocupa-me, por um lado. Maravilha-me, por outro.

Por que raio tentamos transformar as crianças em mini génios, mini artistas e mini adultos sem sal?

Quantas vezes “castigamos” as nossas crianças sem ter consciência dos erros que cometemos?

É preciso sair da norma e usar outros óculos. Os óculos de ver com ternura e simplicidade.

Coloquei esses óculos e agora eu sei que o meu filho está cheio de qualidades.

Para vocês que estão a ler este post… espero que encontrem esses óculos e os usem no dia-a-dia, com os vossos filhos, sem nunca tirar. 
Os óculos não se vendem em nenhuma loja. Cabe a cada um encontrá-los.
São feitos de amor.

Juntos ou separados?

Agosto 25, 2019

O Triângulo Perfeito

Sempre tive a ideia de colocar os dois irmãos a dormir no mesmo quarto, porque achei que ia ser divertido, assim como um factor de maior cumplicidade.

Eu e o meu irmão fazemos grande diferenca de idade e por isso sempre dormimos em quartos separados, mas lembro-de de ser criança e ir domir a casa de umas amigas (duas irmãs) e ficar a achar que deviar ser muito fixe partilhar o quarto.

Experimentamos colocar o Xavier no quarto do Vasco nas últimas 3 noites e embora o Vasco adore a idéia, a verdade é que não tem resultado.

O Xavier acorda duas vezes por noite e o Vasco, por sua vez tem andado com o sono mais leve que o normal.

Assim, sempre que o Xavier acorda, o mano desperta e... vice versa.

Esta noite contei 3 vezes que um acordou o outro e ...não pode ser.

Assim, decidimos voltar atrás e para já e sobretudo enquanto o Xavier mamar (ja vai em 14 meses) eles vão continuar a dormir separados.

Vivemos num t3, por isso temos um quarto extra. A partir de setembro vou começar as obras de transformação desse quarto que era um escritório, num quarto de criança.

Coml esse quarto é o maior da casa, um dia se os manos quiserem ainda poderão dormir juntos.

Para já, não está a resultar.

Adorámos o Oceanário!

Agosto 20, 2019

O Triângulo Perfeito

Durante as férias andámos passear pelo país e, como já tinha dito, num desses passeios fomos com os miúdos visitar o Oceanário de Lisboa.

A última vez que lá fui... bem... posso dizer que foi há mais de uma década! Eu ainda não tinha rugas ou cabelos brancos, xiiiii...

Por isso... embora me recordasse que o Oceanário era um sítio fixe para os jovens visitarem, não tinha muita noção se era ou não apropriado para crianças de 3 anos (já nem falo do Xavier).

Pois então, e o que achámos? 
Adorámos!! E os miúdos também.

O local está muito bem organizado, pois para além de um aquário gigante no centro do recinto, existem vários recantos com espécies de peixes, crustáceos, moluscos super engraçados. O Vasco ficou encantado com os dragões folhosos, assim uma espécie de cavalos marinhos com folhas penduradas (não sei explicar melhor, ver se arranjo uma imagem).

Foi ainda interessante perceber que o aquário está dividido em zonas para ilustrar a biodiversidade existente em cada um dos oceanos.

Claro que para o Vasco o que mais interessava era ver peixes e quanto maiores e mais coloridos mais ele se entusiasmava.
O Xavier também ficou entusiasmado, mas perdeu o interesse mais rapidamente (até porque pelo meio começou a ficar com sono e a stressar um bocado)

Ficámos cerca de 1.15 hora no Oceanário. Ficaríamos de bom grado mais um hora se não fosse o pequenote, mas mesmo assim foi muito fixe.

Daqui a uns tempos repetiremos a visita, até porque os miúdos já terão outra maturidade e poderemos prolongar um pouco mais o programa.

Para além de o Oceanário ser interessante, toda a paisagem circundante é fantástica e convida a uns bons passeios.

Acho fantástico como a zona da antiga Expo 98 tem vindo a evoluir! Está tudo tão bonito e organizado, é mesmo linda toda aquela área. Os lisboetas têm muito que se orgulhar.

Aproveito para vos contar que na noite em que ficámos em Lisboa estivemos hospedados no hotel TRYP Lisboa Oriente que era bastante porreirinho.
O nosso quarto tinha vista para a estação dos comboios e dava mesmo para ver todo o movimento na estação.

Eu achei um piadão a esta paisagem, o Zé não percebeu muito bem a minha exaltação eh eh.

Mas a verdade é que sempre me fascinaram as estações de comboios, o movimento de chegada e partida, as pessoas as circular, toda essa dinâmica.

Ficam aqui algumas imagens nossas no Parque das Nações. Mais um dia bem passado e que recordaremos sempre com alegria..

IMG_2725.JPG

 

IMG_2742.JPG

IMG_2749.JPG

 

IMG_2751.JPG

 

IMG_2754.JPG

IMG_2717.JPG

 

IMG_2746.JPG

IMG_2715.JPG

IMG_2736.JPG

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me também em

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D