Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

Más memórias...

Quando o Vasco tinha 11 meses contraiu uma doença chamada "Roséola", também chamada de "sexta doença".

Não... não me enganei... não é Rubéola. Essa doença também existe, mas não foi a que o Vasco teve. 

A Roséola manifesta-se por febres altas muito repentinas, durante 3 a 4 dias, acompanhadas por pequenas manchas rosa na barriga, peito e costas, que ficam mais claras quando se toca. 
As manchas são bastante diferentes das manchas da varicela e de outras doenças, o que ajuda a diagnosticar melhor o problema.

O Vasco ficou muito debilitado com este problema (e nós, super assustados, porque tinha febres altíssimas) e teve mesmo que ser internado durante 4 dias.

Embora seja uma questão viral (é o mesmo vírus do herpes) logo cura-se sem antibiótico, os médicos queriam ter a certeza que estava tudo ok antes de darem alta.

Hoje, lembrei-me do assunto porque estive a passar a ferro um pijama para o Xavier usar e de repente lembrei-me que aquele era o mesmo pijama com que o Vasco estava na noite em que foi internado.

Há roupas que nos trazem boas recordações. Este pijama, por acaso, é o contrário. 
Espero que não traga "azar" a esta casa. A verdade é que o Xavier está agora a fazer 11 meses, mesma idade que o mano quando contraiu a Roséola. Uiiii.

Hum... se calhar não vou usar o pijama. Pronto. Já decidi! 

61514394_936072800068594_8423488215389831168_n.jpg

 

Reserva de Brinquedos

Desde que o tempo começou a aquecer que vou buscar os miúdos à escola, a pé. Deixo o carro perto do infantário (para depois ir lá busca-lo à noite) e faço com os pequenos a travessia da minha cidade. 
A escola deles fica num extremo e a minha casa, na outra ponta. Por isso, ainda passeamos bastante antes de chegar a casa.
O Vasco gosta de cuscar todas as lojas (farta-se de me pedir coisas) e até nas farmácias quer entrar, porque sabe que há uma zona infantil com brinquedos para bebés.
Como já não sei o que lhe dizer quando ele me pede para comprar coisas, e estou farta de lhe dar "negas"... inventei uma estratégia. 
Digo-lhe que as coisas vão ficar "reservadas" na loja e que as vamos buscar no próximo mês se tivermos dinheiro para tal.

Então hoje, algo engraçado aconteceu..

O Vasco olhou para a montra de uma loja de brinquedos e começou logo a dizer "quero isto, isto, isto...".

Antes que eu lhe dissesse que não temos dinheiro para tanto, ele adiantou-se!
Entrou na loja, foi ter com a funcionária e disse-lhe:

- Eu quero aquela escavadora, mas a minha mãe não me vai dar. Por isso, quero que tu tires a escavadora da montra, e a escondas num armário. Ah, e põe-lhe um papel em cima a dizer "Reservado para o Vasco"! 

A senhora da loja ouviu-o falar e fartou-se de rir.
Saiu da loja e foi ter comigo (eu tinha ficado à porta, porque a loja tinha escadas e eu não conseguia subir com o carrinho do Xavier).
- A senhora quer mesmo reservar a escavadora?- disse-me ela- é que o seu filho foi lá dentro dizer para a gente a reservar!

O Vasco ouviu a conversa e ainda acrescentou:
- E não te esqueças de colocar o meu nome, ó senhora da loja. É VASCO. Não é Vasquinho, tá bem?

Digam que lá que o miúdo não é despachado? 

Um... e outro

Um adora tirar fotos. O outro sente que há coisas bem mais divertidas para fazer.
Um adora fazer pose. O outro... está-se a marimbar 
Um é tranquilo. O outro é um furacão saltitante.
Um gosta de música. O outro gosta de correr e saltar.
Tão lindos. Tão diferentes. Tão amados. E tão meus!
Percebo perfeitamente um e outro.
Porque sou uma mistura dos dois. 
E amo os dois intensamente, com todas as suas variações.

IMG_2042.JPG

 

IMG_2041.JPG

 

 

Não tens tempo para fazer compras? Usa as lojas online!!

Aqui há tempos, aproveitei uma tarde livre para ir passar uma tarde ao Mar Shopping. Levei comigo o bebé Xavier, porque gosto de aproveitar estes momentos para estar um pouco com os filhotes.

Chegámos ao shopping por volta das 14horas e dirigi-me imediatamente à FNAC, onde comprei alguns livros e vídeos para mostrar aos meus alunos.

Depois disso, não resisti e fui cuscar a zona do vestuário e calçado infantil, onde me sinto um peixe na água.

Adoro entrar nas lojas todas, ver os conjuntinhos para os miúdos, imaginar todos os matchi-matchi... E este shopping tem uma zona infantil que nem vos conto! Imensa oferta e muita qualidade. É dos meus preferidos.

Ora bem... estou a virar a esquina e deparo-me com uma loja nova, uma sapataria que não conhecia.

"Pisamonas? Que nome engraçado". pensei. E resolvi entrar.

Vi sapatos, sapatilhas, sandálias... achei que os modelos tinham imensa qualidade e já me dispunha a utilizar o Xavier como cobaia para experimentar alguns pares, quando... os bebés são imprevisíveis, não é?

A verdade é que Xavier fartou-se de estar no carrinho e, como já tinha vistos muitas lojas, desatou num berreiro que nem vos conto.

Fiquei indecisa entre ir embora e tentar que ele experimentasse alguns pares de sapatilhas. Mas percebi que estava a remar contra a maré.

O meu bebé estava cansado e a precisar de ir para casa dormir um soninho.

Fula da minha vida por não conseguir comprar nada (e ainda por cima gostava de tanta coisa naquela sapataria)  já estava a preparar-me para sair quando a funcionária da loja me deu a solução.

Informou-me que a Pisamonas também tem disponível uma loja online: https://www.pisamonas.pt/ e que eu podia encomendar através desse endereço. 

Agradeci a simpatia e rumei a casa, um pouco menos aborrecida.

Entretanto, nos dias seguintes tivemos o Xavier um pouco adoentado e nunca mais me lembrei da questão dos sapatos.  Até que no domingo passado, já com algum tempo disponível, decidi pesquisar o site online da Pisamonas, assim como o seu instagram e acabei por encomendar alguns modelos (a verdade é que queria encomendar todos, mas a carteira não permite!)

Hoje, a encomenda chegou cá a casa e estava tudo impecável. Para além da rapidez na entrega, veio tudo cheiroso e bem acondicionado.

ukkj.jpg

 

Cheiroso?? Como assim? :)

Não vos sei explicar, mas mal abri as caixas de sapatos cheirou-me a pastilha elástica de morangos e a bonecas novas!!

Para além dos ténis serem um must (e estou morta por tirar umas fotografias giras), o cheirinho é irresistível.

Já não é a primeira vez que faço compras através de lojas online e sinceramente, dada a vida que tenho, acaba por ser uma boa opção.

Até agora ainda não tive nenhum desaire. Penso sinceramente que as marcas estão a apostar (e bem) neste tipo de vendas e acho ótimo porque a vida de uma mãe é muito desgastante e só nós sabemos o que é ter falta de tempo!

Os miúdos ainda não chegaram da escola, mas estou mortinha que cheguem para lhes mostrar as sapatilhas novas. Ainda por cima, consegui o que queria... fazer matchi-matchi!

Prometo fotos em breve :)

 

Começar com o pé esquerdo...

Faz mais ou menos um ano que entrei de licença por gravidez de risco, a poucas semanas de dar à luz. 
A médica aconselhou-me descanso porque já tinha algumas contracções e sentia um grande mau estar na zona abdominal. Eu assim fiz.

Logo no primeiro dia de licença (lembro-me de estar toda contente a pensar "yeiiii, hoje não vou trabalhar", fui levar o Vasco ao infantário e.... no momento em que saí do carro, tropecei no passeio e dei uma queda monumental!

Uivei de dor com o impacto do meu corpo no chão e percebi imediatamente que tinha torcido um pé.

Não conseguia levantar-me e tive que ser amparada por duas senhoras, que por ali passavam naquele momento.

Ajudada por elas (uma senhora de cada lado) consegui a muito custo chegar ao infantário do Vasco e levei-o à sala.

A seguir... a seguir fiquei a colocar gelo no pé durante uma hora, vendo aquilo a inchar, a inchar... Sabia que estava tudo bem com o bebé Xavier porque não tinha caído com a barriga, mas sim em cima do meu próprio pé. Isso era a única coisa que me aliviava.

Foi uma maneira engraçada (ironia) de começar a minha licença por gravidez de risco... Passei os primeiros dias praticamente sem poder andar e não foi por causa do bebé, mas sim por causa da entorse.

Ainda hoje me rio da situação )

Prometo compensar-te!

Têm sido dias intensos a nível laboral e as 24 horas do dia não chegam para realizar com eficácia todas as tarefas da minha lista.
A minha mesa da sala de jantar está cheia de papelada, o cesto da roupa a transbordar, na escola multiplicam-se as reuniões, há imensa documentação ara preencher. Simultaneamente, meti -me numa ação de formação ao sábado à tarde e já não tenho o sábado de manhã livre há muito tempo porque dou apoio a um primo que está a preparar-se para os exames. 
Ao domingo temos tido sempre festas e aniversáriosa aos quais vamos com muito gosto, mas que impedem a realização de outras atividades de caráter mais livre em família. 
Sou uma pessoa muito exigente e procuro sempre ser a filha ideal, a esposa ideal, a amiga perfeita, a profissional sem mácula. Mas claro que isto nem sempre é possível e depois lá vem a famosa CULPA. 
Sinto que o meu filho mais velho está carente de atenção e não tenho conseguido estar mais que meia hora dedicada a ele nos últimos dias. Mesmo quando estou a brincar com ele, a minha cabeça está noutro sítio, estou a pensar nas mil e uma coisas que tenho para fazer. 
Resultado? O Vasco ressente se e manifesta à maneira dele : portando-se mal e desobedecendo a todos os meus pedidos. 
Posto isto só me resta prometer-lhe uma coisa : vou compensar -te filho! Quando esta fase terminar vou compensar toda a gente.
E um dia, se o tempo me permitir ... hei arranjar um momento para me compensar a mim também. 

IMG_0932 (1).JPG

 

SOCORRO,

não quero dar de mamar a meio da noite!

O Xavier adormece por volta das 21.30. Às 2h da manha acorda para mamar e as 5 da manhã repete a gracinha. Às sete da manha acorda e já não dorme mais. 😋

Têm sido meses e meses a acordar a meio da noite.. Estou farta...

Já tentamos algumas técnicas para evitar que ele mame tantas vezes a meio da noite, mas... sem sucesso. Está tão habituado que berra sem parar até acordar toda a gente cá em casa.

Por isso... preciso das vossas dicas! 😆 
Mães que amamentaram, como é que fizeram o desmame noturno?E com que idade do bebé?

Xavier vai a caminho dos 11 meses. Segundo a pediatra nesta altura já só devia mamar duas vezes, isto é, de manhã e à noite.

Que me dizem?

60291838_926256357716905_1351505162987896832_o.jpg

 

O que é que vocês fazem em relação aos fofós?

Na segunda-feria à noite, como o Xavier não apresentava melhoras da sua "suposta" virosa, fomos ao hospital para ouvir uma nova opinião médica. 
Levámos o Vasco connosco pois não tínhamos onde o deixar.


Já na sala de espera da urgência, o Vasco foi protagonista de um momento que alterou entre o vergonhoso e o hilariante. Andava ele a correr e a saltar pelos bancos com a sua alegria habitual quando lhe deu um ataque de flatulência. 


Cá em casa não chamamos puns, nem puzetes, nem gases. Chamamos fofós ou fufa-fufas.


Bem... o que acontece é que sempre que o Vasco saltava lá lhe saía um fofó. Uns eram silenciosos, outros mais sonoros... 


Eu estava ao fundo do corredor com o Xavier ao colo e de repente começo a ver toda a gente que estava na sala de espera a rir. Pensei que estavam a rir das palhaçadas do Vasco... até que percebi que não. Estavam rir-se era da sua flatulência. 


Aqui em casa já explicamos várias vezes ao Vasco que há coisas que não se devem fazer em público, mas acho que a mensagem ainda não foi assimilada... 

Pensamentos matinais

Gosto do sentimento de pertença. Da sensação de que faço parte de um determinado grupo. Da ideia de me enquadrar bem num determinado local onde seja aceite e reconhecida como pessoa.

Todos os dias tomo o pequeno almoço na mesma pastelaria e adoro essa rotina.

A pastelaria não me pertence. Mas eu pertenço à pastelaria. 
Faço parte da sua história, sou uma peça do seu cenário. E isso é agradável.

Quando a funcionária da pastelaria me vê a entrar pergunta- me :

- Vai tomar o costume?

E eu respondo que sim. Mesmo que as vezes não me apeteça o costume.

Porque eu quero que a funcionária se lembre de mim. Quero ser lembrada.

Para além disso gosto de coisas certas e definidas. 
O mundo está cheio de mudanças e imprevistos. O meu dia a dia é uma agitação...

O café com leite e o pão com manteiga dão me uma sensação de tranquilidade. É um ritual fixo e imutável , numa vida em constante movimento.

Sou um bicho complexo mas quero coisas simples. Paz, sentimento de segurança, estabilidade e a certeza de pertencer a algum lugar.

Acho que no fundo todos queremos isso. Ou não?

Aqui na vovó...

Ontem fui buscar o Vasco ao infantário e, antes de irmos para casa, parámos em casa da avó para eu pegar numas coisas.

Como o Vasco vinha da escola super transpirado sugeri que tomasse banho ali mesmo, na casa avó .

Ele ficou todo contente porque a avó tem uma banheira xpto que faz hidromassagem. Começou logo a despir-se. 
A complicação começou aí ...

Primeiro, coloquei dois carrinhos dentro da banheira para ele brincar.

- Quero mais brinquedos, mamã. AQUI NA VOVÓ tomo sempre banho com muitos brinquedos!

Depois, disse-lhe para entrar na banheira ...

- A água está quente! AQUI NA VOVÓ quando tomo banho é com água morna...

Lavei- o e deixei-o ficar de molho. Passados 10 minutos fui acabar com o banho.

- Não ...não quero sair... deixa me ficar mais um pouco! AQUI NA VOVÓ fico sempre muito tempo a brincar na água...

Passado algum tempo, sequei o Vasco e pus creme hidratante no corpinho dele.
Como não houve comentários, nem criticas finalmente respirei fundo...

Depois de vestida a roupa, abri a porta para sairmos da casa de banho.

- Espera mamã, falta o resto.
- Qual resto?
- AQUI NA VOVÓ no fim do banho eu ponho sempre perfume. Tens que ir ali àquele armário, tirar o perfume e esfregar nas minhas roupinhas!

Pois é. Quem tem uma avó... tem tudo, não é? 

Sigam-me também em

Pág. 1/2