Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

Julho 14, 2017

O Triângulo Perfeito

Fomos ao Burger King buscar gelados e vimos lá algumas crianças a comer nuggets.

É incrível, não é? Os miúdos adoram mesmo aqueles bocados de carne!

Mal cheguei a casa comecei a pesquisar sobre o tema. Como odeio nuggets, estava à espera de um motivo qualquer para nunca os dar ao Vasco. Encontrei mil motivos :)

 

O primeiro artigo que li... chocou-me....

Para além de referir os inúmeros aditivos que se acrescentam aos nuggets, também diz que os mesmos são feitos de frangos inteiros triturados. O resultado é uma massa com este aspeto (que nojo!)

 

nuggets-frango (1).jpeg

Fonte: https://melhorcomsaude.com/voce-sabe-que-sao-feitos-os-nuggets-de-frango/

 

Segundo um estudo do Huffinton Post, apenas 50% do nugget é efetivamente frango. O resto é uma mistura de cartilagens, nervos, ossos triturados, veias e gordura. 

(sempre a melhorar, não é?)

 

Como achei que este artigo era um bocado sensacionalista, fui pesquisar noutras fontes. É aí que encontro este vídeo da cadeia McDonalds, cujo objetivo, era óbvio: calar as más línguas:

 

 

Não sei se este vídeo me fez sentir melhor ou pior. Vi aqueles frangos todos mortos e dei por mim a pensar: tantos animais que morrem diariamente para nos alimentar... E com que frieza filmamos os seus cadáveres. 

 

Pessoas a cortar frango, a fatia-los, a triturar os bichinhos... E tudo filmado! Não gostei... É engraçado que a dada altura deixei de escutar o que as pessoas estavam a dizer, porque as imagens eram fortes de mais.

 

Não sei se estou a virar vegetariana, mas cada vez mais me choca a indiferença que temos para com os animais! 

Posto isto... nuggets? Podem ficar com eles.

O resto da carne? Cada vez mais perto de a deixar...

Julho 12, 2017

O Triângulo Perfeito

Hoje o V. experimentou beterraba pela primeira vez e... adorou!

beterraba.jpg

 

Na verdade, a ideia inicial era ser eu a comê-la (o marido não gosta), mas o Vasco deve ter achado piada à cor ( e à textura, pois estava raladinha) porque começou a apontar e dar sinal de que também queria.

 

Fizemos-lhe a vontade.

 

Pensei que não ele não fosse gostar porque, como diz o pai, "beterraba sabe a terra". Mas o sabor docinho deve ter sido mais forte.

O Vasco só não comeu mais, porque fiquei com medo que tanta beterraba o pusesse mal disposto. Acabei por lhe tirar o recipiente das mãos...

 

Não sei até que ponto a beterraba é boa para os bebés, nem a partir de que idade se deve dar.

Li em vários locais da net que este vegetal é causador de alergias, devendo ser evitado no primeiro ano de vida. Noutros sites, li que a beterraba tem nitratos pelo que o seu consumo deve ser evitado.

Outros ainda, dizem que aquela ideia que nós temos de que a beterraba tem muito ferro... está errada. 

 

Contudo, também li informações positivas. Fiquei a saber que a Beterraba é um vegetal de baixo teor calórico, que fornece antioxidantes e vários minerais. A cor vermelha da Beterraba é devido à presença de betaína, que ajuda na saúde cardiovascular. Além disso, a Beterraba também é uma excelente fonte de fibra dietética que ajuda na digestão. Há sites que destacam o poder da beterraba na luta contra o cancro. Por último, a beterraba prende o intestino, sendo uma boa ajuda contra diarreias dos nossos bebés. 

 

Sei que há pessoas que fazem sopa com beterraba e até encontrei esta receita para bebés de 9 meses.

Num site brasileiro,  a autora de um artigo vai mais longe e aconselha a partir dos 6 meses de idade, "desde que cozida, para reduzir o teor de nitratos". 

 

Neste outro site, encontrei mais uma receita destinada a bebés a partir dos seis meses. 

 

Pessoalmente, não me senti à vontade para iniciar a beterraba tão cedo. Mesmo agora, sabendo que é um alimento tão polémico, fico indecisa entre o dar e o não dar. 

 

E vocês, como fizeram? Qual a vossa opinião sobre o assunto?

Julho 12, 2017

O Triângulo Perfeito

Estamos num país em que as bufas são aplaudidas (Salvador, já te deves ter arrependido tanto desse pseudo-peidinho!) e os bufos, enxovalhados. 

 

Por mim. tudo bem. Estou-me a bufar para isso. Com tantos afazeres domésticos e profissionais a ocuparem-me o tempo, não estou para matar a cabeça com o assunto.

 

Em relação ao Salvador já está tudo dito e redito. É caso para dizer, e com motivos, que a conversa já "cheira mal". 

 

Quanto à questão do jornal Público, só dois apontamentos:

 

Primeiro - Não sei se o senhor fez mal em chibar-se. Até porque, parece-me, se não fosse ele seriam outros a fazer o mesmo. A notícia já andava a circular no twitter, era só uma questão de ver quem é que a dava "em primeira mão". 

A parte má, quanto a mim, foi o modo como o texto foi escrito. Com alta dose de azia e muitos insultos. Esperava-se muito mais isenção de um jornalista. Acima de tudo, esperava-se isenção de alguém com tão alto cargo no Público.

Os Truques de imprensa têm todo o direito de existir e darem sua opinião. Ao contrário do tal jornalista, eles não são obrigados a ter imparcialidade...

 

Segundo- O jornal Público está a ser atacado fortemente nas redes sociais. Isso enerva-me e já vou explicar porquê:

Parece que, de repente, meio mundo se lembrou que odeia o Público!! Há mesmo gente a dizer que não vai ler mais aquele jornal ou que vai usa-lo como papel higiénico para a sanita. 

A maior parte dos comentários no facebook vêm de pessoas que se diziam leitoras do Público. Acho isto radical e um bocado hipócrita. Então é assim? De um dia para o outro, o Público passou de bestial a besta?

 

Sou a única achar que há muito boa gente a quem dá jeito alimentar este ódio?

 

 

Para muitos media seria positivo que a imagem do Público ficasse nas ruas da amargura. A desgraça de uns será o sucesso empresarial de outros. E há toda uma maquinaria a funcionar... Tic, tac, tic, tac.

 

Quanto a mim, estou totalmente isenta no que digo. Nunca fui leitora do Público... 

(a razão principal para o meu desinteresse não é o ódio: é mesmo a minha hipermetropia . Aquelas letrinhas são demasiado pequenas para a minha pitosguice. A mancha gráfica do jornal impresso confunde-me. Sou sincera...) 

 

... mas se um dia vir uma notícia interessante nesse jornal, não vou virar as costas ou deixar de colocar um like só porque um senhor se lembrou, num longínquo verão de 2017, de se chibar. 

 

Lembremos. Um jornal é feito com amor e paixão. Um jornal é o resultado do trabalho de um conjunto de pessoas que adoram o jornalismo. Pessoas que dão o litro e que se dedicam ao jornal todos os dias.

 

O jornal Público não é, nem nunca será aquele texto específico ou aquele jornalista em particular! É todo um conjunto.

 

Façam uma análise mais ponderada. Se acharem que o jornal é assim tão mau, deixem de ler. Mas não sem lhe darem mais uma oportunidade. 

 

Afinal, já toda a gente se bufou um bocado. Até o Salvador. 

 

Julho 11, 2017

O Triângulo Perfeito

Hoje de manhã, por volta das oito horas, comecei a ouvir o V. palrar na sua camita. Muitos risos, boa disposição, sons de saltinhos na cama... enfim, o costume nestas ocasiões. 

 

Vesti-me... calcei-me... e estava prestes a abrir a porta do quarto dele quando começo a ouvir: "A mamã é feia...O papá é feio...". 

O quê?? Não. Não podia ser! Que estava o meu baby a dizer? Apurei o ouvido (apenas e só para confirmar a desgraça):

 

"Mamã...feia..." "Papá...feio"

 

Abri a porta, toda sorridente, tentando disfarçar o choque:

"Olá! Que estás a dizer bebé? Bom dia!!"

Riu-se muito, fez as suas gracitas e repetiu:

 

"Feia, feia, feia... !"

 

Lá fui contornando: "A mamã é bonita, não é? O papá também é bonito, não é?"- dizia eu. 

 

"Feia. Mamã feia. "

 

Como sei que ele adora os avós, experimentei mudar de personagem:

 

"A vovó também é feia? Não, pois não? A vovó é bonita!"

 

Pensou um bocado (leve hesitação), mas logo respondeu:

 

"Feia vovó. Vovó é feia."

 

Bolas! Alguém me diz onde é que aprendeu semelhante "habilidade"??

 

A sorte é que a seguir dei e recebi muitos miminhos. E um abraço que me encheu a alma.

 

Pelo sim, pelo não, acho que hoje vou à cabeleireira.  Não quero ser "feia". 

 

Julho 10, 2017

O Triângulo Perfeito

 19495647_1560314624009746_2070682968_o.jpg

 

O Vasco reconhece bem o seu nome, mas só há bem pouco tempo começou a dizê-lo. 

É muito engraçado, porque fala sempre de si na terceira pessoa: " O Tato (vasco) quer pêra", "O Tato fecha a porta", etc, etc. 

 

Estive a pesquisar e percebi que isto é muito comum na idade dele (20 meses). 

 

Entretanto, desenvolveu tanto a linguagem que já não consigo fazer uma lista das palavras novas, como tinha feito em posts anteriores. 

 

Outro aspeto em que noto evolução é na construção frásica.

Já ouço o meu bebé dizer frases curtas e com algum sentido. Fico toda contente. 

Ultimamente, anda com a mania do: "Xô, mamã. Xô!"  Aí já não acho tanta graça, eh eh.

(estou a mentir, por acaso acho piada quando ele me enxota tal como eu faço às gatas).

 

Curiosa para saber como vão ser as próximas fases!

Palpita-me que ainda me vou rir muito com este pequenote.

Julho 09, 2017

O Triângulo Perfeito

depositphotos_1516202-stock-photo-vegetable-quinoa-salad.jpg

 

Recém-chegada de um workshop de culinária onde aprendi a utilizar a quinoa (podes ler sobre isso aqui), fui assaltada pela dúvida:

 

Poderão os bebés comer quinoa? Será benéfico para eles?

 

As resposta é sim. E... sim!

 

A quinoa é um alimento excelente em termos nutricionais e pode ser dada logo a partir dos 8 meses (ou 6 meses, para barriguinhas menos sensíveis), em simultaneo com a introdução de outros sólidos.

Dada a sua consistência (pequenas bolinhas muito moles) o risco de engasgamento é reduzido. 

 

Considerada um alimento sagrado pelos Incas, há mais de 5000 anos que este vegetal é produzido nas regiões andinas da Bolívia e do Peru. Graças ao seu alto poder nutritivo, a quinoa foi considerada pela Academia de Ciências dos Estados Unidos o melhor alimento de origem vegetal para consumo humano.

Sabiam que até faz parte da dieta dos astronautas da NASA quando estes saem em viagens muito longas?

 

Segundo um aritgo do diário de notícias "Pais procuram uma dieta mais natural, livre de açúcares e produtos que agridem o organismo ainda imaturo dos bebés", poderão ver na quinoa uma boa alternativa a outros alimentos nocivos. "

 

Num outro artigo, da revista Forbes, são mencionados os 7 superpoderes da Quinoa, a saber:

 

1- É um dos alimentos mais ricos em proteína que existem, contendo os 9 amino-ácidos essenciais para a saúde.

2- Ela contém quase o dobro da fibra contida em outros grãos.

3- É rica em ferro.

4- Contém licínio, uma substância necessária para a reparação tecidal.

5- A quinoa é rica em magnésio que auxilia na diminuição da glicose, combatendo a diabetes; relaxa os vasos sanguíneos, diminuindo dores de cabeça e enxaqueca; aumenta a produção de energia e formação de ossos e dentes.

6- Contém Ribovlavina (B2), que melhora a energia metabolica dos neurónios e tecido muscular.

7- Contém manganésio, um antioxidante que previne o dano mitocondrial durante a produção de energia e protege os glóbulos vermelhos contra os danos provocados por radicais livres.

depositphotos_7449732-stock-photo-cooked-and-uncooked-quinoa.jpg

Quinoa cozida (à esquerda) e quinoa crua. Nos bebés pequenos deve-se optar pela cozida, que é mais facilmente digerível. O tempo de cozedura é de 8/10 minutos após fervura da água. Mais do que isto, a quinoa ficará demasiado grande e pastosa. 

 

Deixo aqui algumas receitas para bebés e graúdos. É só clicar nos links e espreitar! :))

 

http://www.papinhasdaxica.pt/2016/07/quinoa-com-manga/

 

http://www.primeirascolheradas.com/2015/08/mingau-de-quinua-com-banana/

 

Para os mais graúdos...

 

Mini hambúrguer de quinoa

 

Ingredientes

1 xícara (chá) de água

1/3 xícara (chá) de triguilho

340g de carne de lombo moída

½ xícara (chá) de cebola roxa bem picada

½ colher (sopa) sal

Uma pitada de pimento do reino

Algumas folhas de alface

1 tomate fatiado

Metade de uma abacate descascado e amassado

 

Como fazer

Coloque a água em uma panela e deixe ferver em fogo alto. Adicione o triguilho, tampe e reduza o fogo, deixe cozinhando por 10 -12 minutos ou até que fique macio. Remova do fogo e deixe descansar, com a panela ainda coberta, por cerca de 5 minutos. Depois, mexa com um garfo e deixe esfriar.

Em uma travessa, coloque a carne moída, as cebolas, sal, pimenta e o triguilho já pronto. Molde a mistura em uma forma para hambúrguer, caso você não tenha, pode colocar em uma forma de empada. Coloque as formas ou o hambúrguer em uma grelha untada. Deixe grelhar por 10 a 12 minutos ou até que fique no ponto que você prefere.

Sirva os hambúrgueres com pão, alface, tomate e o abacate amassado. Hmm!

 

(receita retirada do site Pais e Filhos)

 

 

 

 

 

Julho 07, 2017

O Triângulo Perfeito

O meu filhote tem andado vestido com um equipamento do FCP. Foi oferecido pela madrinha e fica-lhe super bem!

Gosto mesmo de o ver. É uma fofura completa. 

 

19624434_248371988992397_5677297280357498880_n(1) (1).jpg

 

Mas o clubismo vai mais longe. Desconfio que o pai Zé lhe anda a fazer a cabeça, porque a única cor que o Vasco interiorizou até hoje foi.. azul. 

 

- De que cor é esta camisola, Vasco? 

- Azul! (era verde) 

- E de que cor é a porta?

- Azul! (era branca)

- E de que cor é a mesa?

- Azul!  (era castanha)

 

Palpita-me que vou ter sérias dificuldades para convencer o Vasco que a cor vermelha é a cor mais bonita do arco-irís. kkkk. Mas acredido que um dia, tal como os gatinhos, ele vá abrir os olhos...

 

O Joãozinho chegou à escola e comentou com a professora:
- Nasceram 4 gatinhos ontem, ainda estão com os olhos fechados e são os
4 do Porto. A Professora muito contente mandou chamar o Pinto da Costa.
- Ò João conta ao Senhor o que me contaste no outro dia - pediu a
professora
- Tenho 4 gatinhos, dois são do Porto e dois do Benfica
- Mas João - replicou a professora - Não foi isso que me contaste no
outro dia!!
- Pois não - replicou o menino - mas dois gatos já abriram os olhos!

Julho 05, 2017

O Triângulo Perfeito

... e adorei! 

19758461_784257438400751_967803691_n.jpg

 

Já andava há imenso tempo para fazer um desses workshops, mas ora faltava tempo, ora companhia. 

Depois pesquisar sobre este tipo de cursos, decidi-me pelo Club MasterCOOK. Conhecem?

As aulas são dadas pela chef Lígia Santos (vencedora da primeira edição do programa masterchef em Portugal) que para além de excelente cozinheira, é simpática e muito boa comunicadora.

 

Foram duas horas e meia muito bem passadas. Não me arrependi!

Ambiente fantástico, superdivertido, e muitas, muitas aprendizagens. 

 

19758410_784258971733931_2046177205_n (2).jpg

19758293_784257491734079_1281430374_n.jpg

19849144_784257498400745_1103206966_n.jpg

 

 

19679881_784257508400744_1560024841_n.jpg

 

O que se cozinhou então?

Neste workshop que cujo tema eram "refeições ligeiras" aprendi a fazer três pratos saudáveis:

 

- Salada de quinoa (com imensas coisas misturadas) com um molho vinagrete TOP, TOP, feito com mangericão.

- Wraps de frango e legumes com molho de iogurte e mostarda (e muito mais...)

. Courgetes com queijo e tomates gratinadas

 

Adorei tudo, mas o primeiro prato foi sem dúvida o meu favorito. Para além do sabor excelente, senti-me realizada porque FINALMENTE PERCEBI como é que se cozinha a Quinoa:))

 

19731831_784241398402355_8914837325825654859_n.jpg

 Eu e a minha amiga Maria, todas contentes. Ainda não desisti de convencer a minha mãe, acho que ela ia adorar!

 

Houve ainda tempo para degustar um melão casca de carvalho trazido por um dos "aprendizes". Estava delicioso!

 

19748388_784251321734696_6855562648479261031_n.jpg

 

Estou mortinha por cozinhar estas iguarias para os meu amigos, assim como para o meu irmão, que adora comida saudável. 

 

Resumindo... Quando é o próximo workshop do Club masterCOOK? :))

 

Julho 04, 2017

O Triângulo Perfeito

Estava ansiosa que o V. começasse a falar, para inaugurar aqui no blogue uma rubrica dedicada às "pérolas linguísticas". Quis o destino que a primeira peripécia engraçada fosse... digamos... um bocado "picante".

 

Há duas ou três semanas, estava em casa com o Vasco quando comecei imediatamente a ouvir o seguinte som: 

- Puta, puta, puta!!

Fiquei que nem pedra. O quê?!! Que estava ele a dizer? Não, não podia ser. Já tão cedo a dizer palavrões?

 

Aguardei um pouco, mas a insistência transformou-se num choro desesperado. O meu filho berrava a plenos pulmões sentado no chão frio da cozinha e caiam-lhe até umas lagrimitas. Daquelas de verdade. Não eram de crocodilo.

 

- Puta... puta...  - continuava ele.

Ainda incrédula, tentei acalma-lo. Queres este carro? Queres a chupeta?

 

Nada fazia efeito. Sem saber muito bem o que fazer, decidi deixa-lo sossegado. Resolvi ir ao firgorífico para tirar os legumes da sopa que ia fazer a seguir. 

Nesse momento, o desespero do V. transformou-se em instinto de sobrevivência. Foi a correr em direção ao frigorífico e apontou, sôfrego, para uma embalagem verde que estava na última prateleira. 

 

Ah... ok... afinal ele queria FRUTA... F.R.U.T.A.  Daquelas de pacote, da Nestlé.... Kssss. Pelos visto ainda tem dificuldade em dizer os "F", e acaba por substituir pelos "P".

Menos mal...

Já estava com medo de estar a criar um delinquente. Afinal estou só a criar um fruto-dependente :))

Sigam-me também em

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D