Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Sou uma mulher no meio de três homens. Vértices de uma constelação de amor, eles são o meu triângulo perfeito.

Alguém vai ficar feliz

15555378_1280672208622654_2120123794_o.jpg

 

Os outros dois vértices estão doentes e o dia foi um bocado (muito) stressante... Sinceramente, a única coisa que salvou esta sexta-feira alucinante, foi o facto de ter conseguido levar a minha prenda solidária aos correios.

A encomenda já seguiu e eu sei que há uma criança em Portugal que vai ficar muito, muito feliz!

A senhora que me atendeu nos correios, quando olhou para o monitor, ficou com a lagriminha no olho e disse-me:

- Menina, você hoje nem imagina a boa ação que fez!!!

Por questões de anonimato, não nos podem dizer para que instituição foi a prenda. Mas não faz mal. Eu sei que alguém vai ter um Natal mais bonito.

Já decidi que, para o ano, vou aderir novamente à campanha "Pai Natal Solidário" dos CTT. E quero que um dia o Vasco perceba que, quanto mais (nos) damos aos outros, mais nos preenchemos por dentro.

Um Natal mais Solidário

carta.png

Já aqui falei do meu desejo de um Natal mais espiritual, um Natal mais... solidário. Este ano, decidi passar dos sonhos à ação.

Andei na internet à procura de associações humanitárias a necessitar de ajuda ou até mesmo de campanhas de solidariedade a decorrer neste momento no país. Não foi preciso "googlar" muito para descobrir a campanha "Pai Natal Solidário" promovida pelos CTT. Adorei o conceito e fiquei imediatamente rendida à campanha:

Basicamente, é pedido às crianças pobres ou que se encontram em situações de risco que escrevam uma carta ao pai natal, dizendo quais os presentes que gostariam de receber nesta quadra.

A carta escrita por cada criança fica disponível no site dos CTT podendo ser vista por qualquer cibernauta. Quem quiser apadrinhar a carta, recebe um código e, no prazo máximo de três dias, deverá entregar o presente (mais o código) nos CTT.

Simples, não é? Difícil foi escolher a carta para apadrinhar!

Já fui ao meu mail e já recebi o código :) Agora tenho 3 dias para encontrar uma "cozinha de brincar completa".

(adorei a sinceridade, na parte do "completa"- tipo, vejam lá se não aldrabam na minha prenda!)

Mas... isto não chega. Quero também envolver a minha família neste assunto. Quero que a solidariedade assente arraiais lá em casa. 

Assim, estou a pensar colocar uma caixinha de ofertas junto ao pinheiro. Quem quiser (e apenas quem quiser) poderá lá deixar um contributo (monetário, entenda-se) para ajudar no financiamento do brinquedo que vou oferecer. Vou também dedicar algum tempo para explicar às crianças da minha família, que nem todos os meninos têm possibilidades económicas para comprar presentes. Alguns, nem para roupa têm dinheiro... o que fará brinquedos. 

Espero que a minha ideia seja bem recebida. Espero também que o meu sonho de um Natal mais solidário, se torne um sonho coletivo e não apenas um desejo individual. :)

 

Prendas só para as crianças

prenda-de-natal-wallpaper.jpg

Este Natal, tomámos uma decisão: só as crianças terão direito a prendas. Neste momento, já temos quatro crianças na noite de consoada, por isso a animação está garantida. Chegámos à conclusão que a comida, o convívio, a música e o sorriso das crianças seriam suficientes para nos alegrar neste Natal.

 

A verdade é que acabávamos sempre por comprar "presentes simbólicos" para os adultos e gastando dinheiro desnecessário- verba que poderia ser aplicada noutras coisas, como uma mesa de Natal mais farta. ou até mesmo gestos de solidariedade (vou falar disso no próximo post...)

 

Havia, para além disso, uma coisa que me incomodava bastante: não vos consigo explicar porquê mas não conseguia evitar uma certo vazio no momento em que, como animais selvagens, nos punhamos desenfreadamente a abrir presentes...

 

A verdade é que eram tantas prendas, e para tanta gente, que à meia noite se gerava uma confusão tremenda. Eram papeis voar por todo o lado, coisas espalhadas pelo chão, presentes abertos à pressa... Algumas prendas quase não eram apreciadas porque não havia tempo para isso. Porque havia sempre outra prenda para abrir depois dessa. Conhecem o filme?

 

No final da algazarra, ficava em mim um sentimento estranho. Como se algo estivesse a faltar. E nâo eram prendas, porque essas haviam, até em quantidade excessiva. Era, por estranho que pareça, o espírito do Natal.

 

Este ano, resolvemos fazer um Natal mais espiritual, mais humilde e mais sentido.. Como mãe, cada vez sinto menos necessidade de prendas. Neste momento, quem oferecer algo ao meu filho é como se estivesse a oferecer-me a mim. Fico tão contente como se a prenda fosse para mim. 

 

O melhor presente que podemos ter no Natal é o sorriso dos nossos filhos. Vê-los a brincar felizes e, de preferência saudáveis, é o melhor que a vida nos pode dar.

 

Assim, substituímos os momentos de "fartura" por "momentos de qualidade".

O porta-moedas agradece... e a nossa alma também.

E lá se construiu um coração...

IMG_20161209_160841.jpg

O prometido é devido! Depois de semanas a protelar a construção do enfeite para o pinheiro de Natal do infantário, lá consegui terminar a tarefa. Ufa! Está feito. Só um pormenor: o coração era para ficar com pelo menos o dobro do tamanho (indicações do infantário) mas tanto cortei, tanto cortei.,. que ficou assim :)

O V que está recortado em cima do coração é um V de Vasco. Ah, e já agora, um V de Vitória também: A minha vitória sobre a tesoura, a cola, as purpurinas e o papel de feltro! Minha amiga tesoura, quem ganhou desta vez, quem foi?!

Com muitas imperfeições, o coração ficou pronto. E eu espero que não me peçam para fazer trabalhos manuais tão cedo. Não era por acaso que na adolescência esta era a disciplina em que tirava pior nota.

Vasco, o que eu faço por ti! :)

Eles precisam que a gente se importe

coracao-decoracao-de-natal-em-feltro-artigos.jpg

 

Há três semanas, dentro da mochila do Vasco, vinha uma folha de papel com uma mensagem escrita pelas educadoras do infantário. Nessa mensagem vinham dois pedidos. Duas tarefas simples relacionadas com o Natal.

 

 

Duas provas de amor.

 

Pedia-se ao pais que tirassem uma selfie com o bebé e que, em seguida, imprimissem a fotografia a preto e branco, no formato 10X15. A ideia era que a foto fosse entregue no infantário para construção de um mural de Natal. 

 

O segundo pedido também era simples, embora já implicasse alguma destreza manual. Tínhamos que construir e embelezar um coração que pudesse mais tarde funcionar como um enfeite para o pinheiro de Natal.

 

Os dias foram passando e não cumpri nem com uma tarefa nem com outra. A fotografia foi sendo adiada por uma questão de perfeccionismo. A nossa máquina fotográfica canon avariou e "nem pensar em tirar um fotografia com o telemóvel".Eu queria uma foto espetacular. Conclusão: a máquina fotográfica ainda está para arranjar e a nossa selfie com o Vasco... ficou em stand by.

 

Quanto à construção do coração... bem... o coração foi adiado por falta de vontade mesmo. Odeio tudo o que tenha a ver com trabalhos manuais. Então, na primeira semana fui pesquisar ideias sobre esse tema na internet. Passado duas semanas, fui comprar os materiais para a construção do coração. Depois, reparei que me faltava tesoura e cola. Neste momento tenho uma data de tralha em cima da secretária e ainda não comecei sequer a tarefa. É triste...

 

Mas pior ainda foi o impacto do meu falhanço pessoal:

 

Ontem, quando fui levar o Vasco ao infantário deparei-me com a escolinha completamente decorada com enfeites de Natal. Estava linda!

 

Logo na entrada do infantário, tinha sido construído... um lindo mural de Natal com as fotografias das crianças e suas famílias. Dezenas e dezenas de fotografias. Nenhuma fotografia do Vasco. Suspirei, chateada comigo mesma.

 

Mais à frente... dois pinheiros de Natal espetaculares, enfeitados com corações vermelhos, verdes, dourados. Corações construídos pelos pais, pelos avós, enfim, pelas famílias das crianças. 

 

E o coração do Vasco? Pois é. O Vasco não teve direito a um coração. A mãe e o pai tiveram sempre "coisas mais importantes para fazer". Esta é que é a verdade. Tivemos tempo, mais que tempo, para nos dedicarmos às duas tarefas, mas colocámos sempre outras coisas à frente disso, inventando pretextos e mais pretextos. 

 

Nós falhámos. E eu não quero falhar mais. Não foi nada de importante. Foi apenas um coração, uma decoração de Natal. Mas eu gostava de ter cumprido com aquela tarefa. 

 

Adoro o meu filho. Todos nós adoramos os nossos filhos. Mas é importante prova-lo.

 

 

Os nossos filhos precisam que a gente se importe.

 

 

Mesmo quando as tarefas são simples e banais, os nossos filhos precisam de saber que estamos lá. Que podem contar com a gente para as grandes e pequenas coisas. E às vezes é com pequenas coisas que eles percebem o quanto são importantes para nós.

 

Hoje não me vou deitar sem construir o coração para colocar no pinheiro da escola. Espero ainda ir a tempo... :)

 

Vou pendurar no pinheirinho o melhor coração que conseguir elaborar. Porque o meu está cheio de amor por ele. 

 

O Vasco ainda é muito pequenino para perceber o valor desta tarefa. Mas eu percebo.

 

Se um dia, por mero acaso, ele vir a fotografia do pinheiro do ano de 2016, quero que saiba que, desde o princípio, nós estivemos lá. 

Conhecem estes cartões?

Se têm uma amiga grávida ou que foi mãe recentemente e não sabem que prenda lhe poderão oferecer este Natal, os cartões da Milestone poderão ser uma ótima ideia!

Eu recebi os meus cartões como prenda, no ano passado, e posso dizer que os usei com muito gosto até ao último cartãozinho!

Há vários tipos de cartões (como poderão ver no site da empresa). A mim, ofereceram-me os cartões relativos ao primeiro ano de vida do bebé. Para além de assinalarem a passagem dos meses, também incluiam os acontecimentos mais importantes (primeiro sorriso, primeira papa, primeira vez que fez tem-tem, etc).

E para que servem os cartões?

Bem, basicamente, servem para assinalarmos as datas/acontecimentos mais importantes da vida dos nossos filhos. A ideia é tirarmos uma foto com o bebé junto do cartão. 

Aqui estão alguns exemplos de fotos que tirei:

IMG_0820.JPG

 

IMG_1051.JPG

 

IMG_1350.JPG

 Agora só falta clicar no site da Milestone e... encomendar! 

Ora vamos lá fazer o pinheirinho!

Hoje foi dia de andar às compras à procura de enfeites para a casa e para o pinheiro de natal. Tudo isto porque eu cismei que este ano queria a decoração em tons de azul

Como devem imaginar não é fácil arranjar enfeites dessa cor. Ainda por cima, para além das tradicionais bolas de natal, queria comprar bonequinhos para o Vasco brincar. Bonecos é fácil; agora, bonecos em tons de azul... isso já é um autêntico desafio!

Neste momento, o pinheiro já está feito (assim que puder coloco as fotos) e o Vasco, como é óbvio, já foi lá mexer. As bolas da parte de baixo da árvore já estão todas espalhadas pelo chão. Que alegria!

No ano passado, no Natal, o nosso pipocas tinha apenas um mês e não interagiu nada com a árvore. Aliás, passou a noite de consoada (que foi também a noite em que fez 6 semanas) a dormir.

Algo me diz que este ano vai ser bem mais agitado e divertido :)

IMG_20151225_133410.jpg

Sigam-me também em

Pág. 2/2