Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Triângulo Perfeito

Um blogue de pessoas imperfeitas. A viver num triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Um blogue de pessoas imperfeitas. A viver num triângulo perfeito.

Para todas as Marias deste país

Depois de ter lido que o ministério da saúde é contra a existência de apelos no facebook para doação de sangue e medula... fiquei irritada. Apeteceu-me ir lá a Lisboa dar-lhes nas fuças.

 

Segundo o mesmo ministério (e passo a citar a notícia que li no jornal Público):

 

 “O número de dadores que se deslocam aos serviços a reboque destas campanhas é impossível de controlar. Face à pressão que exercem, aumenta o risco de não lhes ser fornecida toda a informação necessária. Nem todos percebem o que ser dador implica. A decisão de inscrição pode ser uma resposta emocional, não ponderada, ao apelo e até partir “da noção falsa de que uma pessoa pode inscrever-se para ser dadora de um determinado doente”. E quem assim age “mais facilmente pode desistir”.

 

Meus amigos do ministério, vocês acham que sabem do que falam. Mas não sabem! Algum de vocês teve ou tem neste momento, um familiar doente e a precisar de sangue ou de medula?!

 

Pois... É que se tivessem seriam os primeiros a tentar encontrar ajuda... No facebook, no twitter, no hi5, no orkut, no polo norte... Até contactos extraterrestres vocês fariam, para ajudar os vossos entes queridos.

 

“O número de dadores que se deslocam a reboque dessas campanhas é impossível de controlar”. Esta não percebi. É impossível de controlar porquê? Porque não há capacidade logística, espaço, recursos humanos, seringas para usar tanta gente a querer doar??

 

Se não há capacidade para a avalanche de gente que quer doar… então, meus amigos do ministério da saúde... arranjem capacidade! Para isso servem também os nossos impostos, acho eu...

 

Aumentem os vossos recursos materiais e humanos. Agora o que não pode acontecer é haver pessoas com vontade de doar sangue ou medula e não o poderem fazer só porque o sistema não tem capacidade para absorver tantos beneméritos.

 

Outra… “face à pressão que exercem, aumenta o risco de não lhes ser fornecida toda a infomação necessária”.

 

Ok… concordo. Então vamos lá fazer umas campanhas (como dantes ainda se via na televisão pública) a explicar tudo direitinho sobre este assunto. Isto seria serviço público na TV. Os portugueses iam agradecer..

 

Blá, blá… “a decisão da inscrição pode ser uma resposta emocional, não poderada”. Mas claro que é uma resposta emocional! E ainda bem que o é.

 

É sinal que ainda existem pessoas com bom coração neste mundo. Pessoas que se interessam pelo próximo.

 

“…e quem assim age, mais facilmente pode desistir”. Tudo bem, também concordo.

 

Mas se forem muitos a querer doar... mesmo que metade dessas pessoas desista a meio do percurso, ainda haverão 50% a completar todo o processo até ao fim!!

 

Não gostei desta opinião do Ministério da Saúde. Soou-me a dor de cotovelo, pelo sucesso que muitas campanhas para doação de sangue/medula feitas no facebook estão a ter, face à insignificância das campanhas institucionais dos últimos tempos.

 

Basta ver o impacto da página “Salvar a vida da Maria”, para percebermos a força destas campanhas. E quem está a ajudar a Maria, pode ajudar outros meninos e meninas deste mundo.

 

As redes sociais também têm coisas boas. E esta força, este poder de mobilizar as pessoas para grandes causas é algo a incentivar e não a desencorajar.

 

By the way. A Maria já encontrou um dador de medula compatível. :) Soube esta semana,

Não foi o Ministério de Saúde que me disse. Foi o facebook... E que contente que eu estou por esta feliz noticia!