Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Triângulo Perfeito

Um blogue de pessoas imperfeitas. A viver num triângulo perfeito.

O Triângulo Perfeito

Um blogue de pessoas imperfeitas. A viver num triângulo perfeito.

Eles precisam que a gente se importe

coracao-decoracao-de-natal-em-feltro-artigos.jpg

 

Há três semanas, dentro da mochila do Vasco, vinha uma folha de papel com uma mensagem escrita pelas educadoras do infantário. Nessa mensagem vinham dois pedidos. Duas tarefas simples relacionadas com o Natal.

 

 

Duas provas de amor.

 

Pedia-se ao pais que tirassem uma selfie com o bebé e que, em seguida, imprimissem a fotografia a preto e branco, no formato 10X15. A ideia era que a foto fosse entregue no infantário para construção de um mural de Natal. 

 

O segundo pedido também era simples, embora já implicasse alguma destreza manual. Tínhamos que construir e embelezar um coração que pudesse mais tarde funcionar como um enfeite para o pinheiro de Natal.

 

Os dias foram passando e não cumpri nem com uma tarefa nem com outra. A fotografia foi sendo adiada por uma questão de perfeccionismo. A nossa máquina fotográfica canon avariou e "nem pensar em tirar um fotografia com o telemóvel".Eu queria uma foto espetacular. Conclusão: a máquina fotográfica ainda está para arranjar e a nossa selfie com o Vasco... ficou em stand by.

 

Quanto à construção do coração... bem... o coração foi adiado por falta de vontade mesmo. Odeio tudo o que tenha a ver com trabalhos manuais. Então, na primeira semana fui pesquisar ideias sobre esse tema na internet. Passado duas semanas, fui comprar os materiais para a construção do coração. Depois, reparei que me faltava tesoura e cola. Neste momento tenho uma data de tralha em cima da secretária e ainda não comecei sequer a tarefa. É triste...

 

Mas pior ainda foi o impacto do meu falhanço pessoal:

 

Ontem, quando fui levar o Vasco ao infantário deparei-me com a escolinha completamente decorada com enfeites de Natal. Estava linda!

 

Logo na entrada do infantário, tinha sido construído... um lindo mural de Natal com as fotografias das crianças e suas famílias. Dezenas e dezenas de fotografias. Nenhuma fotografia do Vasco. Suspirei, chateada comigo mesma.

 

Mais à frente... dois pinheiros de Natal espetaculares, enfeitados com corações vermelhos, verdes, dourados. Corações construídos pelos pais, pelos avós, enfim, pelas famílias das crianças. 

 

E o coração do Vasco? Pois é. O Vasco não teve direito a um coração. A mãe e o pai tiveram sempre "coisas mais importantes para fazer". Esta é que é a verdade. Tivemos tempo, mais que tempo, para nos dedicarmos às duas tarefas, mas colocámos sempre outras coisas à frente disso, inventando pretextos e mais pretextos. 

 

Nós falhámos. E eu não quero falhar mais. Não foi nada de importante. Foi apenas um coração, uma decoração de Natal. Mas eu gostava de ter cumprido com aquela tarefa. 

 

Adoro o meu filho. Todos nós adoramos os nossos filhos. Mas é importante prova-lo.

 

 

Os nossos filhos precisam que a gente se importe.

 

 

Mesmo quando as tarefas são simples e banais, os nossos filhos precisam de saber que estamos lá. Que podem contar com a gente para as grandes e pequenas coisas. E às vezes é com pequenas coisas que eles percebem o quanto são importantes para nós.

 

Hoje não me vou deitar sem construir o coração para colocar no pinheiro da escola. Espero ainda ir a tempo... :)

 

Vou pendurar no pinheirinho o melhor coração que conseguir elaborar. Porque o meu está cheio de amor por ele. 

 

O Vasco ainda é muito pequenino para perceber o valor desta tarefa. Mas eu percebo.

 

Se um dia, por mero acaso, ele vir a fotografia do pinheiro do ano de 2016, quero que saiba que, desde o princípio, nós estivemos lá.